Em tempos de Copa do Mundo, é urgente lembrar que o esporte não está acima de tudo

“Ayrton Senna está chocado, abalado e revoltado com o que aconteceu, e escolheu o silêncio como forma de manifestar sua insatisfação. Senna não deu declarações depois do treino. Ele acha que os pilotos deveriam se unir para exigir mais segurança na Fórmula 1.”

Ele pressentiu. Sentiu. Previu o que aconteceria. Pagou com a vida pela falta de coletividade e pela irresponsabilidade de “dirigentes” da Fórmula 1.

Aliás, os mais novos se enganam ao pensar que Ayrton Senna era um ser humano qualquer. Abaixo, observe atentamente a cena. É inacreditável. É ele, um grande brasileiro, que sai correndo do carro em solidariedade a um colega.


@consciencia_net facebook.com/LosPequenosDetalhes