Rio, cidade partida...Cultura
.
Beatles na Tijuca
Neste sábado (7/4) tem tributo aos Beatles no Afonso Pena Pub’s Bar (R. Afonso Pena, 101), às 21h. Telefone: (21) 3286-3484. Bom programa.
::::06/04/2007
‘O Panorama do Teatro’ em Duque de Caxias
Ocorrerá nesta quarta-feira, 4 de outubro, o Seminário "O Panorama do Teatro", em Duque de Caxias, Baixada Fluminense. O evento será das 17h30 às 19h30 no Auditório da Biblioteca Governador Leonel de Moura Brizola e a realização é da Secretaria Municipal de Cultura (SMC).

Participarão como palestrantes Antônio Paulo Soares (ator, diretor e professor); Ediélio Mendonça (ator, diretor, figurinista e professor); Fábio Santini (ator, diretor, produtor e professor teatral); e Guedes Ferraz (ator, diretor e professor de teatro).

Para garantir um dos 50 lugares disponíveis é preciso chegar um pouco mais cedo.
::::1/10/2006

Música em debate na UFRJ
O Laboratório de Etnomusicologia (LE) da UFRJ está realizando a quinta edição do evento Música em debate, de 28 de setembro, 6 e 16 de outubro e 21 de novembro.

O tema central desta edição será: Música e diversidade: novos diálogos e interlocutores na pesquisa musical.

Os organizadores do Música em debate são os professores Samuel Araújo, Marianne Zeh e Marcus Wolff, do LE. Os debates acontecerão na sala da congregação da Escola de Música da UFRJ.

A entrada é franca para o público em geral. Confira a programação clicando aqui.
::::1/10/2006

Cover do Queen na Hideway, em Laranjeiras
A banda Bohemian Queen Cover se apresenta no dia 21 de maio (domingo), na Hideaway. Vai ser na Rua das Laranjeiras, 308, às 21 hrs. Ingresso a R$ 10.
::::9/5/2006
Noca da Portela e ‘É com esse que eu vou’
Clique na imagem;
Dia 10 de maio, às 20h30, vai dar samba na Casa de Cultura Estácio de Sá, na Barra - Rio de Janeiro. O grupo ‘É com esse que eu vou’ e Noca da Portela se apresentam, com ingressos a R$10. Anota aí: rua Érico Veríssimo, 359. Na foto, integrantes do grupo ‘É com esse que eu vou’. Imperdível.
::::8/5/2006


Reprodução‘Tontera’ no Teatro Ziembinski

São só cinco músicas do CD demo certamente não o suficiente para saciar a curiosidade por esta banda que promete (e faz) um som de primeira. A próxima apresentação será no Teatro Ziembinski, na Tijuca, Rio de Janeiro, na próxima quarta-feira (10/5).

Na música “Líderes mundiais”, o Tontera destila críticas ácidas contra a situação de violência na qual estamos inseridos: “Mais um civil foi morto, mais um ataque não termina / Em Cabul ou Bagdá, em Israel, na Palestina / Rocinha, Cerro-corá, Irajá, Chapéu Mangueira”.

A faixa “Roleta Russa” também não fica atrás: “Roleta Russa eu não quero mais / Viver na corda bamba, nunca mais / Não quero mais esse lado obscuro / A vida do crime não vai me dar futuro”. Tudo regado a um ótimo som, limpo e pesado na medida certa.

Reprodução
O Tontera surgiu em meados de 2005, composto por Nino Rap (vocal e beat box), JP (vocal), Gelsinho Moraes (bateria), Marcos JB (baixo) e Hugo González (guitarra). Juntos resolveram fazer um som pesado com melodia e rap baseado em riffs de guitarra, que resultou em um “rock and roll black”, como os próprios definem.

Possui influências diversas, tais como Rage Against the Machine, Judas Priest, Pearl Jam, Dennis Chambers, Steve Gadd, Van Halen, Jimi Hendrix, Stevie Ray Vaughan e um dos maiores guitarras vivos do planeta, o sueco Yngwie Malmsteen.

Na gravação do CD, o ‘Tontera’ teve a colaboração do tecladista Hiroshi (Lulu Santos, Cláudio Zoli); Fernando Magalhães (Barão Vermelho), ajudando na produção; e Kleber França, fazendo a mixagem. Dj Cleston, dos Detonautas, apadrinhou o projeto e está colaborando para ampliar o som do Tontera.

Informações adicionais como letras, músicas em MP3 e a trajetória do grupo, você acha clicando nas imagens ou aqui.

Serviço
Tontera - apresentação única
Quarta-feira, 10 de maio de 2006, às 19hs, no Teatro Ziembinski. Endereço: Av. Heitor Beltrão, s/nº - Tijuca (próximo do metrô S.Fco.Xavier); Tel: (21) 2254-5399 / 2569-9071; E-mail: [email protected]
Cidade ganha festa semanal de Rock
A partir do dia 8 de abril (sábado), estréia a mais nova festa semanal de Rock da cidade, a TILT. Semanalmente na Fosfobox (Siqueira Campos 143, loja 22A – subsolo), os DJs Janco Tianno, Wilson Power e Mr. White vão comandar o som, com novidades da cena Rock. Quinzenalmente também haverá bandas convidadas.

Na noite de estréia, é a banda Rockz quem leva seu ‘Nu-Rock’ influenciado por Franz Ferdinand e Strokes (entre outros) à pista da boate de Copacabana. Saiba mais sobre promoções e a banda que se apresentará e peça músicas na comunidade da TILT no Orkut, clicando na imagem.
::::6/4/2006

A Farsa do Bumba meu Boi
Para quem está no Rio e curte Teatro de Rua com linguagem popular, a quinta (dia 23 de março) é o último dia para assistir de graça na Praça XV, às 17 horas, “A Farsa do Bumba meu Boi”. Já na quinta 30 tem roda de Jongo da galera do Pé de Chinelo, na Lapa. Imperdível!
::::17/3/2006
Samba da integração
Velha Guarda Musical de Vila IsabelEntre imagens de Bolívar, Che Guevara e Fidel Castro, a “Vila Isabel Libertadora” canta que “hoje a Vila é um grito que conclama toda a América Latina a formar um só povo. É o samba que vem juntar essa corrente. Na resistência pela identidade de sua gente. Em cores, sons e sabores como delírios. O sonho enreda a história e voa livre”.

Textos de Carlos Gustavo Yoda e Gustavo Barreto, fotos da Vila, no Carnaval 2006.

* * *
Clique na imagem.
A mais simpática de todas as escolas G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel foi fundada no dia 4 de abril de 1946 e fica à Avenida Boulevard Vinte e Oito de Setembro, nº 382. Em 1960 foi campeã do 3º Grupo com o enredo “Poeta dos Escravos”. Em 1979 foi campeã do Grupo 1B (Ascensão ao Grupo 1A) com o enredo “Os Dourados Anos de Carlos Machado”. Em 1988 foi campeã do Grupo Especial com o enredo “Kizomba, Festa da Raça” e em 2003 foi 1º Lugar do Grupo de Acesso com “A Vila É Para Ti...”.

* * *
Imagem: Vila Isabel/DivulgaçãoImagem: Vila Isabel/Divulgação.
Foi o samba enredo de 2006, “Soy loco por ti, América – A Vila canta a Latinidade”, o responsável pela vitória da Vila, já que em número de pontos a escola empatou com a Grande Rio e este era o quesito de desempate. Mais uma viva a América Latina!

* * *
Mestre Mug, Diretor de bateria da Vila Isabel; Vila Isabel/Divulgação
A comunidade de Vila Isabel foi a grande campeã do Carnaval 2006, depois de ter sido anos antes injustamente rebaixada, em um título que certamente ficará para a História.

* * *
Velha Guarda Musical de Vila IsabelSó mesmo a Vila para fazer um apresentador da TV Globo falar, logo depois do anúncio do título do Carnaval 2006, ao olhar para as imagens da quadra lotada na Zona Norte carioca: “E olha, parece que é a bandeira da Venezuela”.  E a Vila anuncia: “Hoje a Vila é um grito que clama, um revolucionário canto que chama, unindo em vozes continentes, num brado forte de luta, que conclama toda a América Latina, a formar um só povo, a cantar um mesmo hino”.
::::2/3/2006

‘Domingo é Dia de Cinema’ volta em março com “Justiça”
O Projeto ‘Domingo é Dia de Cinema’, que leva ao cinema jovens de pré-vestibulares populares no Rio de Janeiro ao cinema um domingo por mês a preços camaradas, volta dia 12 de março, às 9hs, no mesmo e tradicional lugar de sempre - Cine Odeon BR, na Cinelândia. O filme exibido será “Justiça”, que aborda os problemas ora enfrentados pelo Poder Judiciário no Brasil. Após o filme haverá debate.

Em tempo: Geraldo Prado, professor-doutor da UFRJ e juiz estadual no Rio de Janeiro há 17 anos, participou do documentário dando seu depoimento e sendo acompanhado pela lente da diretora Maria Ramos. Em entrevista exclusiva à Revista Consciência.Net em janeiro de 2005, durante o IV Fórum Mundial de Juízes em Porto Alegre, Prado não hesitou em afirmar: “A tortura ainda é o maior método de investigação no Brasil”.
::::16/2/2006

MEC AM apresenta Velha Guarda do Salgueiro

O programa “Ao Vivo Entre Amigos” desta quarta-feira, 17 de fevereiro, às 17h05, na MEC AM 800 KHz, traz a Velha Guarda do Salgueiro. O grupo musical foi fundado em 1980 por Jorge Cardoso, conhecido como Jorge Bombeiro, e as irmãs Mocinha e Caboclinha, filhas do compositor Birolha, reunindo cantores e compositores ligados à tradição e à história da Vermelho e Branco da Tijuca.

Durante a década de 1980, fez diversas apresentações pelo país, mas encerrou suas atividades em 1990. Retornou em 2000, com uma nova formação: João da Valsa, Mocinha, Cláudio Sargento, Flávio Oliveira, Bombeiro, Curumim, Ieda Maranhão e Caboclinha, e apadrinhado pelo cantor e compositor Gabriel, o Pensador. Em 2004, a Velha Guarda do Salgueiro foi indicada na categoria Melhor Álbum de Samba / Pagode ao Grammy Latino, considerado o maior prêmio de música da América Latina. Apresentação de Jota Carlos.

Produção de Marina Barreto e Yaçana Martins. Inédito às quartas, às 17h05. Reapresentação às quintas, às 2h e domingo, às 12h.
::::15/2/2006

“O Cheiro da Feijoada” em cartaz no Rio
“O Cheiro da Feijoada” com Iléa Ferraz. Texto: Thomas Bakk
Você conhece a história da feijoada? Não? De início podemos afirmar que “a feijoada é uma comida de sobras, de restos que era servida aos escravos e que se transformou num dos pratos principais da culinária nacional”. E poderemos saber um pouco mais na peça “O Cheiro da Feijoada”, representada pela atriz Iléa Ferraz, cineasta, produtora, cenógrafa e diretora de teatro, que em 2004 foi indicada para o prêmio Shell de Teatro na categoria de Melhor Atriz.

O texto é de Thomas Bakk e fala de movimentos históricos que propuseram mudanças no Brasil e que foram influenciados pela questão da escravidão. Com uma licença poética que lhe confere originalidade, recupera nomes como o de Tiradentes e Zumbi dos Palmares, por exemplo. “É um espetáculo de memórias, de reminiscências, de faz de contas”, explica a atriz que, na peça, exibe seu talento ao interpretar, além da personagem principal, mais quatro outras.

No palco, ao lado de Iléa, está o jovem percursionista Juninho (Rafael Duvale), que tempera a narrativa da história da feijoada com o toque de mais de oitos instrumentos africanos. Com eles, dá ritmo aos sambas, xotes e até a um inusitado funk que ajudam a compor o clima e a narrativa da peça, unindo ao universo do trombonista Samuel Ramos. Mas atenção: vai ser por ordem de chegada, não fique pra trás.

Anota logo! Caixa Cultural - Av. Chile, 230 - Anexo – Centro/RJ. Camarote Café – 2º andar. Espetáculo “O Cheiro da Feijoada” com Iléa Ferraz. Texto: Thomas Bakk. Músicos: Juninho (Rafael Duvale – percussão) e Samuel Ramos (trombone). Classificação: 18 anos. A estréia é dia 15 de fevereiro de 2006. Entrada gratuita. Horário: 19 horas (senhas a partir de 18:00 horas). Apresentações nos dias 15 e 22 de fevereiro e 8 e 15 de março. Contatos: (21) 2567-0011 / 8838-2772 / [email protected] ; Outras informações, clique na imagem.
::::14/2/2006

Tocando com Jacob
Um show reunindo o conjunto ‘Época de Ouro’ e seis entre os mais destacados bandolinistas do país lançará, no próximo dia 14 de fevereiro, no Teatro Carlos Gomes o álbum “Tocando com Jacob - Partituras e Playbacks”, contendo partituras, gravações originais e seus playbacks descobertos nos arquivos do Instituto Jacob do Bandolim.

São gravações apenas com bases instrumentais, sem a presença do solista, que agora poderão ser utilizados, como um acompanhamento especialíssimo, para o aprendizado e deleite de novos e antigos chorões.

Dia 14 de fevereiro de 2006, 3ª feira, às 19h30, no Teatro Carlos Gomes - Praça Tiradentes. Vendas antecipadas de ingressos a partir do dia 7 de fevereiro. Ingressos a R$ 5,00 e R$ 10,00. Informações adicionais, clique no título.
::::8/2/2006

‘Tribuna do Samba’ agora também na Internet
O ‘Tribuna do Samba’, excelente jornal do Carnaval carioca coordenado pelo Grupo Ecomidia de Comunicação, agora tem também sua versão online. Além do impresso, que sai na semana anterior ao Carnaval, os leitores poderão ler o ‘Tribuna na Internet’, incluindo números anteriores, a cobertura completa dos bastidores do Carnaval, fotos dos ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí e muito mais. O endereço é o www.ecomidia.net/tribuna
::::8/2/2006
(Re)conhecendo o Centro do Rio a pé
No primeiro domingo de cada mês será realizado o passeio “(Re)conhecendo o Centro do Rio a pé”, a partir das 9h. O bolsista Ivo Venerotti, orientado pelo professor do Departamento de Geografia João Batista de Mello, conduzirá os participantes. Haverá também, nas últimas quartas-feiras de cada mês, o passeio “(Re) conhecendo a periferia do Centro a pé”, às 13h. A iniciativa faz parte do projeto de extensão ‘Roteiros Geográficos do Rio’. Mais detalhes e inscrições por e-mail [email protected]
::::8/2/2006
Rio que Encanta
A publicação “Rio que Encanta 2006”, produzida pelo mandato do vereador Eliomar Coelho, com a programação dos desfiles dos blocos de Carnaval e dicas de samba e choro na cidade, já começou a ser distribuída. Quem quiser um exemplar é só passar no gabinete, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sala 504, Cinelândia.
::::6/2/2006
Tá sem idéia de presente?
Dois livros resolvem o problema e ainda ajudam esse mundo a ficar um pouco mais racional e divertido. “As Interminências da Morte”, de José Saramago (Cia das Letras, R$ 28), e “Orgias”, de Luis Fernando Verissimo (Objetiva, R$ 23), são duas obras imperdíveis.

Corre que tá acabando, mané!
::::13/12/2005

Tributo a Moacyr Félix
Será entregue nesta quarta-feira, dia 30 de novembro, em solenidade no Salão Portinari, Palácio Gustavo Capanema (rua da Imprensa, 16 - 2º andar, Centro), à família do poeta Moacyr Félix o título post-mortem de Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro.

Em seguida, haverá um recital em homenagem póstuma ao poeta, com as presenças de Adriano Espínola, Afonso Henriques Neto, Andrés Ordoñez (poeta mexicano, cônsul do México no RJ), Carmem Moreno, Carlos Lima, Cássia Kiss, Claufe Rodrigues, grupo Poesia Simplesmente, Mano Melo, Mônica Montone, Neyde Archanjo, Pedro Lage, Suzana Vargas, Tanussi Cardoso e Tavinho Paes.

Durante o evento serão lidos depoimentos de escritores e intelectuais que não poderão estar presentes, como Afonso Romano de Santanna e frei Betto.
::::29/11/2005

Feijoada de Bamba da Vila
O público prestigiou e lotou a quadra da Vila Isabel no seu primeiro evento gastronômico, e tipicamente carioca, a feijoada. Por ser em Vila Isabel, onde se costuma dizer que, quem nasce em Vila Isabel, já nasce poeta ou compositor, o evento ganhou o nome de Feijoada de Bamba e será realizado sempre no último sábado de cada mês, das 12h às 18h.

O evento, que foi lançado no último dia 24/9/2005 e contou com a apresentação da Velha Guarda Musical de Vila Isabel e do grupo Nosso Canto, terá a cada edição uma atração musical diferente.
::::22/10/2005

É com esse que eu vou
O melhor da música popular, toda sexta, no teatro Carlos Gomes. Clique na imagem para ampliar.
Curso de Contador(a) de Histórias na UERJ
A partir de 5 de setembro, às segundas e terças-feiras, das 15 às 17h30 e das 18h30 às 20h30 horas, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) oferece o Curso de Contadores de Histórias, voltado para professores(as) da rede pública municipal e estadual e para o público em geral. Ministrado pela atriz e diretora Beth Araújo, o curso terá duração de dois meses. A taxa de inscrição é de R$ 5. Mais informações: (21) 2587-7606 / 2587-7693 / 2587-7423.
::::1/9/2005
Rádio Interferência abre espaço
A Rádio Interferência, do Rio de Janeiro, volta a ocupar a freqüência 91,5 MHz e abre espaço para novos programadores em sua grade. Para inscrever-se não é necessário nenhum pré-requisito. As pessoas interessadas devem entrar em contato pelo correio eletrônico [email protected]

A rádio fica no campus da Praia Vermelha da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no prédio do Diretório Central dos Estudantes (DCE), na Avenida Pasteur, 250, Urca, Rio de Janeiro (RJ). Mais informações sobre a Rádio Interferência em www.radiolivre.org/interferencia
::::ago/2005

“Eu também sou mulher”
O Teatro do Oprimido do Rio convida para a apresentação do espetáculo “Eu também sou mulher”, dia 13 de agosto, às 16h. É na av. Mém de Sá, 31, Lapa. Info no 2232-5826 e 2215 0503, ou no www.ctorio.org.br e [email protected]
::::11/8/2005
“É com esse que eu vou”: Especial Chico Buarque
O grupo carioca "É com esse que eu vou" se apresenta neste sábado, 7 de maio, às 23 horas no Dama da Noite, na Lapa. E anuncia: vem aí o CD "Samba do Baú", com sambas inéditos de compositores consagrados. O Dama da Noite fica na rua Gomes Freire, 773. Reservas 2509-4237 / 2508-6219 (estacionamento ao lado). Preço: 12 reais.
Decadência
Certa vez estava em um evento sobre publicidade na UFRJ, onde estudo — na verdade, um dos maiores de intercâmbio entre estudantes e "mercado" por lá. Em um determinado momento, um cara começou a falar sobre a necessidade de ser "criativo" e adotar "estratégias" para barrar a legislação anti-fumo no Brasil e atingir o público-alvo.

Ele falou como se fosse uma briga deles (publicitários) contra as leis e as campanhas de saúde pública. Era um dos maiores publicitários do Rio, um profissional de criação bastante competente.

Eu fiquei indignado, quase que levantei e parti pra briga, mas aí eu olhei pro lado e observei que não havia uma única mosca se mexendo. Ninguém. Sequer fez um "rumf" de insatisfação. Todos ouviam atentos.

O que é pior do que isso? No meu curso de RÁDIO/TV não é muito diferente.

Pior ainda? No curso de Jornalismo é diferente. Mas só um pouquinho.
::::2/5/2005

Sambas de raiz em Niterói na capital
Chico, Paulinho e outros sambas de raiz serão apresentados pelo excelente grupo "É com esse que eu vou", no Convés em Niterói (próximo da UFF e da Cantareira), nesta sexta (3/6) às 22h, na rua coronel tamarindo. Informações: 9823-9231. Meninas 5 reais, meninos 7 reais. É com esse que nós vamos!

No sábado, dia 4 de junho, a roda de samba na Praça Mauro Duarte será em homenagem aos 75 anos de nascimento do saudoso compositor. A música ficará por conta do grupo Cozinha da Tia Néia, formado pelos familiares e amigos do sambista, e haverá exibição do filme Mauro Duarte no Projeto Brahma Extra, com Mauro e Maurício Tapajós. A atividade é uma promoção conjunta dos mandatos Eliomar Coelho, Alessandro Molon e Chico Alencar. A partir das 18h, na confluência das ruas São Manuel e Fernandes Guimarães, em Botafogo.
::::1/6/2005


Fazendo Media de cara nova

O Fazendo Media, publicação coordenada e editada por estudantes de comunicação social da Universidade Federal Fluminense (UFF), está de cara nova e com muitas novidades. Foram inauguradas seis novas seções (Movimentos Sociais, Política, Cultura, Educação, Esportes e Internacional), além de sete colunistas fixos, entre escritores e jornalistas.

As matérias exclusivas do Fazendo Media incluem entrevistas com grandes nomes da esquerda nacional e internacional, tais como Ignácio Ramonet, Tariq Ali, Luis Fernando Verissimo e Mino Carta. Há também reportagens regulares sobre política e cultura, sempre com foco nas lutas dos movimentos populares. Vale a pena conferir: www.fazendomedia.com


Will Smith não liga pra dinheiro

"José Wilker" vai acabar qualquer dia desses substituindo a expressão "ironia ácida" no jargão do cinema. No programa que mantém na Paradiso FM (95,7), toda quarta às 21h, seu destaque final foi para o filme HITCH: CONSELHEIRO AMOROSO (EUA, 2005), dirigido por Andy Tennant e que conta com Will Smith e Eva Mendes no elenco.

Wilker lembrou, antes de comentar o filme, que o Smith esteve no Brasil recentemente e propôs, de acordo com as declarações do ator, uma campanha para beatificá-lo, logo depois do papa. É que o cara falou aos quatro ventos que "não faz filme por dinheiro" e que seu único objetivo ao atuar é o de "trazer esperança para as pessoas". "Era praticamente um missionário", ironizou Wilker.

O filme é o seguinte: Depois de uma decepção amorosa, Hitch (Will Smith) vira conselheiro sentimental e passa a ajudar outros homens a conquistarem as mulheres dos seus sonhos. Até que seu talento como casamenteiro desperta o interesse de uma repórter (Eva), que vai tentar comprovar que tudo não passa de uma farsa.

No final... eles se apaixonam.

"É o tipo de história que já foi contada umas 300 vezes no cinema. Acredito que de forma brilhante nas outras 299, mas não nessa". E concluiu: "Se o Will Smith não liga pra dinheiro, eu sugiro que ninguém vá ver o filme, porque aí ele não ganha dinheiro". (13/4)

Ponto para a cultura
O vereador Rubens Andrade conseguiu maioria na Câmara Municipal e derrubou o veto ao Projeto de Lei de sua autoria que prevê o ensino de música nas escolas públicas municipais do Rio de Janeiro.
O Brasil não-brasileiro
Já se foi a época em que se cantava com orgulho o "meu Brasil brasileiro". Agora, só no exterior, como produto de exportação.

Veja, por exemplo, de que forma o Rio de Janeiro encerrará as festividades pelos 440 anos de fundação da cidade. Com Lenny Kravitz. A prefeitura paga bem - R$ 1,2 milhão - sob o pretexto de melhorar a imagem do Rio.

E viva o Brazil! (23/2)

Apetite de formiga grande
Todo sábado tinha feijoada da Dona Zica. Teve uma que o Formigão mandou ver umas três repetições, de tão gostosa que tava.

Eis que um escurinho vê o Formigão suando frio e grita para a dona da casa que o amigão poderia estar sofrendo um enfarte. Corre-corre daqui, corre-corre dali, o falatório de que o Formigão ia bater as botas ali, depois de comer umas tantas feijoadas da Zica.

Dona Zica correu no quintal, apanhou várias folhas para chá, preparou um bem forte e trouxe correndo pra salvar a vida dele.

– Toma, Formigão, disse ela.

Formigão, pra espanto geral, apanhou o chá, olhou pra tudo mundo e simplesmente perguntou, curioso:

– Mas não tem bolacha?

Original: Contando Causos, de Rolando Boldrin (Nova Alexandria, 2001)


Eu vou te infernizar


Do Movimento da Magistratura Fluminense
pela Democracia. Clique na imagem.
 

2004


Dia Nacional do Samba

Como parte das atividades pelo Dia Nacional do Samba, o Centro Popular de Cultura Aracy de Almeida promove no dia 1o de dezembro, no auditório da Câmara Municipal, a partir das 14h, o painel Políticas Culturais & Juventude Contemporânea: dois inventários, dividido em duas mesas de debate:

Políticas Públicas para a Cultura, com o deputado estadual Alessandro Molon, o vereador Eliomar Coelho, Lúcia Pardo, ouvidora do Ministério da Cultura, e Dalmo Mota, do Sindicato dos Músicos.

Cena Contemporânea: as novas falas da juventude e da cultura, com os grupos Memória e Cultura do Samba, Grupo de Cultura Popular Pé de Chinelo, Pré-Vestibular para Negros e Carentes e Escola de Música ELAM.

No encerramento do painel, Eliomar prestará homenagem a personalidades que contribuíram para a difusão do Samba em 2004: Cristiano Menezes, diretor da Rádio Nacional, pela retomada da rádio e a sua nova programação de qualidade; Tia Doca,  pelos 25 anos de seu famoso pagode; Conceição Corujo, proprietária do Restaurante Salsa & Cebolinha, representando os comerciantes e agitadores culturais do circuito Lapa/Lavradio/Tiradentes; e Lúcio Sanfilippo, cantor, representando aqueles que fazem a música.

Conselhos de Cultura

O vereador Eliomar Coelho (PT-RJ) participa na próxima segunda-feira, dia 29, às 18h30, do seminário sobre Conselhos de Cultura, promovido pelo Ministério da Cultura. Também estarão presentes no evento Silvio Di Nucci, secretário de Cultura do Mato Grosso do Sul, Gustavo Gazzinelli, gerente da Secretaria de Articulação Institucional do MinC, Maria Alice Saboya, assessora da Secretaria Municipal das Culturas do Rio de Janeiro, Nelson Antônio de Freitas, presidente da Comissão de Política Cultural do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro. No Salão Portinari no Palácio Gustavo Capanema, Rua da Imprensa 16/2º andar, Centro.

Tom Zé na UFRJ

Neste sábado (20/11) tem Tom Zé na UFRJ, campus da Urca, às 15 horas. A entrada é franca e a iniciativa é da Rádio ECOMÍDIA. Imperdível.

John Pizzarelli no Rio

Do Globo Online: Depois de todos os standards possíveis do jazz e dos Beatles, nada mais natural que o guitarrista e cantor americano John Pizzarelli aderisse à bossa nova.

Residente no Mistura Fina, onde se apresenta todo ano, ele volta à casa da Lagoa para mais uma temporada, a partir desta quarta-feira, às 23h, onde cantará clássicos de Tom Jobim e músicas de James Taylor ("Your smiling face") e Stephen Sondheim ("I remember") vertidas para o gênero. "Desde que ouvi João Gilberto pela primeira vez, em 1980, tento tocar violão como ele", diz Pizzarelli, de 44 anos.

Apesar do som leve e agradável do artista, o preço é pesadíssimo: quase R$ 100 a inteira e R$ 50 a meia. Veja a programação no sítio do Mistura Fina.

Solidariedade

Trabalhos em cerâmica feitos por jovens ligados a 30 ONGs cariocas serão expostos amanhã (2/10), de 9h às 14h, no Colégio Tereziano (Rua Marquês de São Vicente 331, na Gávea). A mostra faz parte do Projeto Jovem Ceramista e festeja o Dia da Solidariedade.

CRIANÇAS. O Centro de Artes da UFF, em Niterói, vai comemorar o Dia da Criança com a semana de atividades culturais e recreativas, entre 8 e 12 de outubro. O Centro de Artes fica na Rua Miguel de Frias 9, em Icaraí. Mais informações pelo telefone 2629-5030.

Homenagem

O vereador Eliomar Coelho entregou na terça (28/9) o Título de Cidadão Honorário do Rio de Janeiro a Edmundo Soutocompositor de Cantiga por Luciana e Andança, entre outras, na Câmara Municipal. A mesa da Sessão Solene foi composta por Beth Carvalho, Lan, Moacyr Luz, Ricardo Cravo Albin e Mario Rodrigues.

Albin, aliás, produziu um belíssimo e pouco divulgado livro para o Museu da Imagem e do Som"Rastros de Memória"com fotos e informações dos grandes nomes da música e do rádio. Indispensável.

Festa do Jongo

Dança considerada uma das origens do samba, o jongo foi trazido pelos escravos de Angola para a região Sudeste do Brasil Colônia. Em Valença, no Rio de Janeiro, o Quilombo São José é uma comunidade de 150 negros que preserva o jongo. Essa comunidade mantém ricas tradições, como o jongo, a umbanda, a agricultura familiar de subsistência.

No dia 18, fizeram mais uma festa de Jongo. O Brasil não sabe o que é o Jongo. O carioca sabe? Contatos: [email protected]

Informações das duas notas acima de Dioclécio Luz no Brasil de Fato (23/9).

No meio da rua
Exposição fotográfica mostra o cotidiano das pessoas em situação de rua no Rio

Desde o ano 2000, a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) vem trabalhando junto à população em situação de rua, no centro do Rio de Janeiro. Por meio do projeto Meio-fio, MSF dá atenção à saúde, atendimento psicológico e orientação social a essas pessoas, que têm os seus direitos básicos negados. Ao longo do trabalho junto a essa população, a equipe de profissionais de MSF escuta as suas histórias, testemunha as suas dificuldades e conhece de perto as suas necessidades.

Foi da necessidade de mostrar à sociedade quem são, como vivem e o que esperam esses brasileiros e brasileiras que usam as ruas da cidade como moradia ou meio de sobrevivência que nasceu a exposição Sua Rua, Minha Vida. O resultado final você confere em www.msf.org.br/expo_meiofio/

Deputado apóia TVs e rádios comunitárias

O deputado estadual do Rio de Janeiro, Carlos Minc, apresentou projeto de lei que destina um mínimo de 1% do total das verbas destinadas a execução de Campanhas Institucionais e de Publicidade à contratação dos serviços junto às Rádios e TVs Comunitárias. A imprensa popular do país torce para que o projeto chegue também a Brasília.

Pela criação do Conselho Municipal de Cultura

A Comissão Pró-Conselho de Cultura do Rio promove reunião na próxima segunda-feira, dia 20, no auditório do Crea, às 19h, para discutir a participação da sociedade civil na construção de uma política pública para a cultura no Município. Embora considerada a capital cultural do Brasil, o Rio de Janeiro é uma das poucas cidades importantes que não têm um Conselho Municipal de Cultura.

É de autoria do vereador Eliomar Coelho o projeto de lei 1585/91, que cria o conselho, com formação paritária e caráter deliberativo. Agora é o momento de articular apoios para apressar sua votação e garantir sua aprovação. O Crea fica na Rua Buenos Aires, 40, sala 1007. Mais informações com Valentim pelo telefone 2206-9657

Angracine em setembro

A Câmara de Cultura, com o apoio do Fundo Nacional de Cultura-Ministério da Cultura, realizará no período de 23 até 26 de setembro de 2004, em Angra dos Reis, a I Mostra de Audiovisual de Angra dos Reis.

O público participante, além de acompanhar a exibição das produções presentes à mostra, poderá discutir e debater os trabalhos com os próprios autores, diretores e produtores, aumentando as informações técnicas e conceituais da produção audiovisual. Saiba mais clicando aqui
 

O Rio de... Eduardo Suplicy
Por Ancelmo Gois, 12/9

O senador Eduardo Suplicy, que esta semana deu canja na Lapa cantando “Blowin’in the wind”, de Bob Dylan, é de família quatrocentona paulista. Mas curte o Rio. Veja só o que ele mais gosta na cidade:

Praia — Ipanema.

Paisagem — Olhar o Rio andando no bondinho pelo bairro de Santa Teresa. “É um encanto.”

Melhor vista — Da janela do escritório de Oscar Niemeyer no Posto Seis, em Copacabana.

Lugar para comer — Confeitaria Colombo, no Centro.

Passeio — Andar pelo calçadão da Avenida Atlântica e sentar ao lado da estátua de Carlos Drummond de Andrade. “Me impressiona muito como as pessoas ficam ali conversando com o poeta.”

*.*.*
Uerj realiza excursões turísticas para cariocas

Mostrar as atrações históricas da cidade para seus próprios moradores é o objetivo do projeto (Re)conhecendo o Centro do Rio a Pé, promovido pela Uerj. São feitas excursões guiadas, organizadas pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Espaço e Cultura (Nepec), do Departamento de Geografia.

Neste domingo, o passeio começa às 10h, no Mosteiro de São Bento. O grupo assistirá ao início da missa conventual solene com canto gregoriano e depois seguirá para o CCBB, Paço Imperial, Museu Nacional de Belas Artes, Bondinho de Santa Teresa, além de outros locais.

O projeto é realizado no primeiro domingo de cada mês e os interessados podem se inscrever gratuitamente pelo telefone 2587-7905. Há um limite de 40 participantes por excursão.

As informações são do jornal O Globo

*.*.*
Outro museu no Píer da Mauá

O plano é o seguinte: projeto de francês, ingerência de agentes externos e dinheiro do contribuinte.

Nota publicada na coluna do Ancelmo Gois, no jornal O Globo (16/05) do último domingo, revela que o prefeito Cesar Maia não desistiu de construir um museu no Píer da Praça Mauá.

O conceito do empreendimento, pelo jeito, continua o mesmo: projeto do francês Jean Nouvel, ingerência de agentes externos e dinheiro do contribuinte. Pretende apenas mudar de nome para assim se livrar dos impedimentos jurídicos.

Enquanto isso, a grave crise que atinge outros museus da cidade é ignorada pela Prefeitura. Será que um novo museu é prioridade de investimento no município?
 

O Rio oculto em Celebridades

O Rio que ninguém conhece. Porque não existe.

"Quem vê a novela da TV Globo, Celebridades, não vê o Rio de Janeiro. Em todas as cenas externas as favelas não aparecem. Intencionalmente as câmaras focam somente as luzes da cidade, os bairros ricos, e um Andaraí maquiado, evitando a “contaminação” pelas moradias dos pobres. Aliás, pobre também não aparece, a não ser uns falsos pobres que teoricamente morariam em Andaraí. A novela omite ainda a sujeira das ruas; a miséria e a violência, os moradores de rua. Até a moeda oficial desse Rio de Janeiro é outra – o dólar. Eis um bom exemplo de como a Globo mostra a “cultura” nacional"...Brasil de Fato, 06/05/2004
 

FURNAS exibe o morro carioca na visão de seus moradores

Olhares do Morro: Santa Marta, Vidigal e Rocinha nas lentes de seus jovens autores. Exposição no Rio de Janeiro, de 14 de maio a 27 de junho, estréia dia 12 de maio.

No coração do morro Santa Marta (RJ), foi implantado um pólo de criação fotográfica com a participação de seus moradores que documentam a vida social e cultural, fora da eterna moldura das lutas de facções e violências policiais. O objetivo principal do projeto Olhares do Morro é capacitar os moradores para criar um acervo de imagens. “Promover um projeto coletivo de afirmação visual faz infinitamente mais sentido do que fotografar solitariamente o território sensível da favela", comenta Vincent Rosenblatt, fotógrafo e idealizador do projeto. Leia mais
 

Empresa que administra Pão de Açúcar engana cariocas

Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar anuncia desconto de 50% para o mês de maio, mesmo já existindo o desconto para os cariocas. Gustavo Barreto, 2 de maio, 2004.

A Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar (www.bondinho.com.br), empresa privada que adminsitra um dos pontos turísticos mais famosos do mundo, está enganando seus usuários cariocas, que desconhecem em grande parte a legislação. A empresa está anunciando para maio o projeto "Carioca Maravilha", que oferecerá descontos de 50% para quem nasceu ou reside no Estado do Rio de Janeiro. O desconto será concedido a partir do dia 3 de maio, mediante a apresentação de conta de gás, luz ou telefone, e uma carteira de identificação, além de 1 kg de alimento não-perecível (por adulto), que será doado à ONG Renascer.

A iniciativa seria exemplar, caso já não existisse uma lei que obriga a empresa a dar 50% de desconto aos moradores da cidade. O projeto poderia ser dirigido, portanto, aos moradores de outras cidades. Não é desta forma, no entanto, que a empresa faz seu marketing. O próprio nome do projeto, "Carioca Maravilha", já dá a entender que o maior beneficiado será o morador da cidade, e não o cidadão fluminense (morador do Estado). A diretora geral da empresa, Maria Ercília Leite de Castro, segue na mesma linha: "O projeto Carioca Maravilha é um presente para os moradores da cidade, um convite para aproveitar o que o Rio tem de bom", afirma, em um comunicado enviado à imprensa que o jornal O Globo e o Jornal do Brasil publicaram.

Lei foi promulgada em 2002
A lei municipal 3.434, de setembro de 2002, institui meia-entrada para os moradores do município no Pão de Açúcar, no Trem do Corcovado, no Planetário, no Zoológico, em museus e ônibus turísticos. A lei também prevê que projetos culturais realizados com patrocínio do Poder Público também tenham o valor do ingresso reduzido pela metade para quem apresentar comprovante de residência do Rio de Janeiro. Para o cidadão fluminense, ainda de acordo com as leis estadual e municipal, a meia-entrada vale apenas jovens com menos de 21 anos, estudantes universitários e portadores de deficiência.

De autoria do vereador Edson Santos, o projeto de lei municipal foi criado em setembro de 2000 e publicado em forma de lei no Diário Oficial do Município dois anos depois. Em junho de 2002, o vereador Sami Jorge, presidente da Câmara, e o prefeito César Maia tentaram vetar a lei, sem sucesso. A lei foi promulgada, ou seja, está valendo. Leia na íntegra da lei clicando aqui, e a reportagem completa clicando aqui.
 

Vereador muda nome americano de praça pública

George W. Bush é considerado persona non grata na cidade do Rio.

O Vereador Fernando Gusmão (PC do B) aprovou  na Câmara Municipal a mudança de nome da Praça em frente ao Consulado Americano, no centro do Rio. Atualmente chamada de "04 de Julho", a praça passa a ser chamada 1º de Janeiro Dia da Paz Mundial.

"Com todo respeito ao povo americano e sua data comemorativa, nos dias de hoje é muito mais importante fortalecer uma data como dia 01/01, em que a paz e a esperança em dias melhores são celebrados em todo o mundo", justifica o vereador.

Quando a guerra contra o Iraque foi declarada, Gusmão conseguiu a assinatura de quase todos os parlamentares numa Moção que declarou o Presidente Bush persona non grata na cidade do Rio.
 

"Cinelândia - Retorno ao Fascínio do Passado"

Novo livro do vereador Ricardo Maranhão.

Ricardo Maranhão tem sido um defensor incansável da Cinelândia como centro e núcleo de irradiação vital para o Rio de Janeiro. O livro reconstitui, em detalhes, o pano de fundo histórico da Cinelândia, sua decadência e a atual cruzada de revitalização, por ele conduzida. O custo de cada exemplar é de R$ 5,00 e pode ser adquirido na sede da AEPET com Carmela na Av. Nilo Peçanha, 50 sala 2409 - Centro - RJ ou pelo correio eletrônico [email protected]. Mais informações falar com Carmela pelo telefone (21) 2533-1110.
 

"Uma noite de estrelas"

A torcida foi grande, mas apesar da expectativa dos cariocas com as quatro indicações, o filme Cidade de Deus acabou não ganhando nenhum prêmio do Oscar. Mas os jovens atores do Morro do Vidigal, que participaram das filmagens, "viveram uma noite de estrelas neste domingo" [RJ/TV da Rede Globo, 01/03/2004].

Ah, não. Desculpe. Não eram estrelas, eram tiros que cruzaram o céu do morro, como insistem em fazer todas as noites. Aliás, Rubens Sabino da Silva, um dos atores do filme, não recebeu um real sequer por sua participação e se encontra em situação de delinqüência. Ele também não deve ter tido uma noite de estrelas.
 

XXXIII. Samba, Patrimônio da Humanidade

Moção será enviada por vereador ao Ministério da Cultura nos próximos dias.

O vereador Eliomar Coelho (PT do Rio) apresentou moção de apoio à proposta do Ministro da Cultura, Gilberto Gil, de tranformar o samba em Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade.

"O samba é um dos elementos de afirmação e reconhecimento da identidade cultural do nosso povo. A proposição do Ministério da Cultura é urgente, justa e merece o respaldo da Câmara Municipal do Rio de Janeiro", afirma Eliomar. [08/04]

Aliás...

É do próprio Eliomar a "boa idéia do mês", em março. Trata-se de um levantamento publicado pelo jornal O Dia com a atuação do parlamento nos três níveis: municipal, estadual e federal. O projeto de lei em questão diminui o recesso parlamentar da Câmara Municipal para 30 dias. O projeto já foi incluído na Ordem do Dia e pode ser votado a qualquer momento.

Outro projeto exemplar foi apresentado por Alessandro Molon, deputado estadual, também do PT do Rio. Molon deu entrada no projeto de lei 1.429, de 2004, que propõe o livre acesso de qualquer cidadão aos dados dos sistemas de administração contábil, financeira e orçamentária do estado do Rio, conhecido como Siafem.

Pelo projeto, estarão disponíveis, pela Internet, os dados de planos, de orçamentos e de leis de diretrizes orçamentárias; prestações de contas e os respectivos pareceres prévios; o relatório resumido da execução orçamentária e o relatório da gestão fiscal; e as versões simplificadas destes documentos.

O projeto tem como objetivo garantir transparência à administração pública. Ou seja, tudo o que a governadora não quer.
 

XVIII. Os dois mundos

Enquanto "os garotos" do Brasil disputam prêmios nos Estados Unidos, a "Cidade de Deus" real, formada por pessoas em carne e osso, continua uma beleza...
 

VI. F.M.I. e Cinelândia
(ou F.M.I. – manual guide)

Escrito pelo editor desta revista, Renato Kress:

"Eis que a uma sacada de prédio, frente à Cinelândia, uma da tarde, ascende figura engravatada, cheirando a Azzaro e portanto submetralhadora dentro de pasta preta 007. Agacha. Lentamente encaixa as partes desmontadas da referida arma: cano, carregador, balas, mira... ready! Digo, pronto! Pesa o dedo sob o gatilho (muito leve, aliás) e passa, indo e vindo, umas quinze vezes pela multidão. Caos, gritos, mil urros e vaias contra a postura do sujeito. Acabam-se as balas. Calmamente agacha-se e desmonta, parte por parte, a submetralhadora ainda fervendo, coloca na pasta – lamenta a perda das balas. Desce, senta-se no Amarelinho e pede uma feijoada."

17 de fevereiro, 2004
 

IV. Rio de Jano
11 de fevereiro, 2004

A antropologia visual bem humorada e pop do Rio de Janeiro e dos cariocas, do ponto de vista de um desenhista francês. Um filme de Anna Azevedo, Renata Baldi e Eduardo Souza Lima.

O filme

Jano (pronuncia-se Janô) é um desenhista francês especialista em um tipo de arte que na Europa ficou conhecido como "Cadernos de Viagem". Durante 50 dias, a partir de outubro de 2000, realizou um profundo mergulho na vida carioca, visitando lugares jamais representados nos cartões postais, conhecendo pessoas de todas as classes socias, observando, experimentando, trocando.

O resultado desta incursão é um álbum que se tornou obra de referência quando o assunto é o modo de ser do carioca moderno, seu jeito sui generis de levar a vida e os contrastes desta cidade ao mesmo tempo bela e pobre, alegre e violenta. Uma espécie de tratado antropológico ilustrado e pop que impressiona pela riqueza, precisão de detalhes e pelo humor.

A equipe do documentário RIO DE JANO acompanhou o francês durante todos os seus 50 dias, no Rio. E ainda a finalização das aquarelas, no ateliê do artista, em Paris. O filme apresenta o Rio de Janeiro sob um ângulo inusitado, a partir do aguçado e raro senso de observação e percepção de Jano. Flagra o momento exato em que nascem os desenhos. As observações, as escolhas, a técnica do desenhista. E faz uma relação entre a realidade e a sua recriação nos obras de Jano.

Jano e Debret

O trabalho que Jano desenvolveu no Rio tem antecedentes históricos. No século XIX, diversas missões estrangeiras vieram ao Rio para documentar a vida nos trópicos e retornaram à Europa com relatos e pinturas que, hoje, configuram-se como testemunho ímpar dos modos e costumes do brasileiro de então. O mais conhecido destes pintores viajantess é o francês Jean Baptiste Debret.

RIO DE JANO também traça um paralelo sutil entre as aquarelas de Jano e o trabalho de mapeamento paisagístico e social do Brasil-Colônia feito por Debret e outros. E assim como os desenhos de Debret hoje servem de fonte de estudo para pesquisadores sobre os costumes e a geografia da cidade no século XIX, os de Jano formam um rico painel da vida do Rio de Janeiro no fim do século XX.

Saiba mais: www.hybrazilfilmes.com/riodejano/
 

Consciência.Net
Rio, cidade partida
.
.
.
Publicidade