Gastos militares dos EUA

Um perigoso precedente

Os Estados Unidos estão prestes a retomar a produção de minas antipessoais, em um movimento que vai contra o comprometimento da comunidade internacional e a própria política anterior da Casa Branca. De acordo com denúncia do Human Rights Watch (HRW), em dezembro o Pentágono decide se vai fabricar o artefato “Spider”, que desde 1999 já consumiu mais de US$ 100 milhões em pesquisa. Em caso positivo, a primeira leva dos explosivos sai da fábrica no começo de 2007. A reportagem é de Sheila Machado no Jornal do Brasil de 21/8.

América do Sul: menor gasto militar do mundo

Alheios aos grandes conflitos bélicos das últimas décadas, os países sul-americanos reduziram de forma expressiva seus orçamentos militares e hoje, em conjunto, representam a região do mundo que menos gasta em defesa, proporcionalmente ao Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o documento “Balanço Militar da América do Sul”, do centro de pesquisa argentino Nova Maioria, entre 1985 e 2002 o gasto em defesa na parte sul da América despencou 48,4%. Segundo o diretor do centro, Rosendo Fraga, os gastos militares dos países da região são de cerca de US$ 20 bilhões, o que representa 4% dos gastos dos EUA e 50% dos de França e Índia. "O Brasil representa 52% do orçamento militar da região. Em segundo lugar está o Chile, com 11%, e em terceiro a Colômbia, com 10,33%", disse Fraga, que apresentará o documento na VI Conferência de Ministros da Defesa das Américas, a partir de hoje, em Quito...O Globo, 16/11/2004

EUA militarizam o mundo

Daily Mirror: 59 milhões de idiotas
De acordo com um estudo do Instituto Oakland, os Estados Unidos são responsáveis pela metade dos gastos militares do mundo. Este ano, o país deve gastar mais de um trilhão de dólares com o Departamento de Defesa. Segundo a economista Anuradha Mittal, de 1997 a 2003, os gastos militares estadunidenses passaram de 296 bilhões de dólares para 397 bilhões de dólares. Segundo documentos do governo, as forças militares dos Estados Unidos estão presentes em, pelo menos, 134 países dos 192 existentes no mundo. Em 2004, os Estados Unidos têm 1,7 milhão de militares, um terço dos quais no exterior. Para o ano que vem, caso seja reeleito, Bush pretende gastar 1,1 milhão de dólares em armas por dia, algo como 11 mil dólares por segundo. Do Brasil de Fato, 4/11/2004..[+]

Pentágono compra supercomputador equipado com Linux

O Pentágono comprou um supercomputador com o sistema operacional Linux para o Departamento de Defesa, informou nesta sexta o site "Microscope". A compra faz parte do programa de modernização da área de tecnologia do departamento. O supercomputador, chamado de Evolocity 2 e construído pela Linux Networx, será usado para pesquisas com armas, incluindo simulações de condições climáticas no campo de batalha e sistemas bélicos. O sistema deve ficar pronto até o meio de 2004 e terá 1.066 nós, cada um equipado com dois processadores Xeon de 3,6 GHz, produzidos pela Intel, e 1 GByte de memória por processador. Da Folha Online, 20/2/2004..[+]

Anistia lança alerta sobre proliferação de armas

Uma pessoa morre a cada minuto por causa da falta de controle na venda de armas, de acordo com um relatório sobre o comércio internacional de armas, publicado nesta quinta-feira pela organização Anistia Internacional. O número equivale a cerca de 500 mil mortes por ano. "Dos grupos armados do Rio de Janeiro e Los Angeles às guerras civis da Libéria e da Indonésia, as armas estão fora de controle", diz o documento, intitulado Vidas Despedaçadas. bbc, 9/10/2003, aqui