Exército na Maré: o Brasil pré-Copa

Exército na Maré, complexo de favelas do Rio de Janeiro: esse incidente, pelo que chequei, aconteceu no local conhecido como Campo da Paty, na Nova Holanda.

O notável despreparo do Exército ocupando ruas na favela carioca vem acompanhado do total descaso em relação aos serviços sociais. [email protected] ao país da Copa.

* * *
A barbárie, declarada por um dos torturadores

“(…) Ex-agente do DOI contou que, ao chegar, o preso era levado à “sala do ponto”, um lugar tão terrível que “até o diabo, se entrasse ali, saía em pânico”.”

Mais um capítulo da estupidez promovida pelos militares durante a ditadura. Crimes imprescritíveis, crimes contra a humanidade.

Disse o ex-agente, Riscala Corbaje: “Não tem necessidade de fazer nenhum outro sofrimento, choque, nem nada. Os outros davam tapa, davam soco. Cada um trabalhava de um jeito lá. Tu já viu estudante? Você pega um estudante, você bota ele com o peso do corpo numa barra de ferro e deixa ele 15 minutos pendurado no pau de arara. Não precisa dar choque. O cara urra de dor. Sabe por quê? Atinge os nervos da perna. O cara quer descer de qualquer maneira”.

E, ao final, declarou: “Não tenho o menor peso na consciência”. (leia aqui a matéria)

* * *
SP: Mais pessoas devolvem apartamento por não poder arcar com aumento do aluguel

Belíssimo legado da Copa — e da falta de políticas públicas que realmente trarão desenvolvimento, como as de moradia.

“Uma pesquisa divulgada neste mês pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) mostra que, em um ano, dobrou a proporção de pessoas que devolveram as chaves de apartamentos por não conseguir arcar com o aluguel. O índice de entrega por problemas financeiros passou de 15% do total das devoluções, em fevereiro de 2013, para 30%, no mesmo mês deste ano. A pesquisa foi feita com 402 imobiliárias.”

Entendeu como os 25 bilhões da Copa voltam? Leia aqui a matéria.

Na Folha: “Eu costumava morar no centro de Itaquera, mas, de dois anos para cá, o meu aluguel passou de R$ 300 para R$ 700”, conta Luciana. “Aí não tive mais como ficar na minha casa.”

* * *
Enquanto isso, na Polícia Militar do Rio mais um corrupto está impune…

Do jornal O Dia: “PM suspeito de ser um dos chefes de quadrilha está na ativa em outro batalhão. Rômulo Oliveira André trocou de unidade mesmo após O DIA revelar com exclusividade detalhes da ação do grupo.”

Taí o porquê do fracasso da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Este não é um caso isolado: a instituição não tem corregedoria.

Tudo pode, só tente não aparecer com o rosto no Fantástico ou fazer uma merda tão grande que vire alvo de campanha internacional. De resto, tudo pode.

A instituição funciona hoje de acordo com o vento: se o policial ou comandante é bom, tudo bem. Parabéns, toma sua estrelinha, com direito a aparecer no catálogo de “boas práticas” que será entregue à sociedade.

Se não é, aí ferrou. Corrupção, assassinatos, tudo poderá daí vir — sem consequências reais. Repito: é regra, não exceção.

Janio de Freitas, grande jornalista, em entrevista ao Fazendo Media: “Não adianta apenas substituir a farda por uma camisa esporte, vai continuar a mesma coisa”.

* * *
Ótimo artigo sobre o direito de se manifestar, inclusive na Copa

Os direitos humanos são inegociáveis, diz Atila Roque, da Anistia Internacional Brasil, e a sociedade civil está de olho: http://glo.bo/1keIV0G

Jornal britânico ‘The Guardian’ denuncia as remoções para a Copa do Mundo no Rio de Janeiro

Rio favela homes make way for World Cup – video (25/4/2011)

Dozens of slums in Rio de Janeiro are being bulldozed to make way for sports venues and new roads for the 2014 World Cup and 2016 Olympic Games. Favela do Metrô resident Eomar Freitas reveals the destruction around his home.

Originalmente em http://www.guardian.co.uk/world/video/2011/apr/25/rio-favela-homes-world-cup-video

‘Aqui a gente não quer luxo, a gente quer o necessário’, diz morador da Providência (RJ) atingido pelos megaeventos esportivos

Aqueles que deveriam dar moradia as derrubam. O dinheiro dos impostos para isso serve no Rio de Janeiro: atender o interesse dos poderosos.

“O morador só vai sentir mês que vem, quando derrubarem a casa dele. Aí é que eles vão sentir a pata pesada do poder”, diz a moradora, com uma lágrima caindo. Os moradores lembram com carinho de uma praça do Morro da Favela, como era conhecido o Morro da Providência, que existe desde 1860.

Este curta é o início do trabalho de documentação realizado pelo projeto #entresembater, com a intenção de retratar a situação enfrentada pelos moradores que vêm sofrendo ameaças de remoção por parte do poder público no Rio de Janeiro.

O projeto #entresembater se propõe a refletir e problematizar o debate sobre o direito à cidade e a moradia, tendo em vista as possibilidades de ocupação territorial, documentando quatro situações emblemáticas no atual contexto do município do Rio do Janeiro.

Sua participação é importantíssima, através do canal www.entresembater.org.br, onde é possível encontrar o material produzido pelos integrantes do projeto e um espaço disponível para quem quiser colaborar com qualquer tipo de mídia.

Conheça, colabore e compartilhe, #entresembater

E se fosse seu filho?

Grande @CarlosLatuff. E se fosse sua casa? E se fosse seu filho?

Por Carlos Latuff

Fico triste quando o único argumento para que não haja responsabilização penal dos mandantes de Pinheirinho é parte da mídia e o Judiciário, que criam uma falsa polêmica entre “as partes”, como se houvesse qualquer possibilidade de argumentação contra o direito humano à moradia.

* * *
ADAPTAÇÃO. Minha Casa Minha Vida ganha versão própria em São Paulo.

Minha Casa Minha Vida em SP

* * *
DEPOIS DA BOLA FORA DA SONINHA. Merecida pesquisa histórica para Soninha ter mais argumentação quando diz que as pessoas em Pinheirinho eram “criminosos tirando proveito da situação”. ;)

* * *
ESTRANHAS CONDECORAÇÕES. Leonardo Sakamoto é quem lembra: “Há exatos oito anos, quatro funcionários do Ministério do Trabalho e Emprego foram emboscados e chacinados em Unaí (MG) por fiscalizar fazendas da região. Até agora ninguém foi julgado. Mas a Assembleia Legislativa de Minas Gerais condecorou um dos acusados de ser o mandante do crime.

Tomando isso com exemplo, a Assembleia Legislativa do Pará não poderia condecorar também alguns fazendeiros da região de Marabá que conseguiram a proeza de não terem sido citados no inquérito policial do Massacre dos 19 trabalhadores rurais em Eldorado dos Carajás? Ou os responsáveis pela Segurança Pública no Estado que, provavelmente, nunca responderão por isso? Dando certo, rola pedir para a Assembleia Legislativa de São Paulo fazer o mesmo quanto ao Massacre dos 111 no Carandiru?”

* * *
ASSIM É FÁCIL. A soma dos incentivos fiscais e gastos públicos relacionados ao estádio que o Corinthians está construindo em Itaquera (Zona Leste de São Paulo) gira em torno de R$ 581 milhões.

O valor, segundo apurou o portal UOL, é superior ao custo total de seis das 12 arenas que estão sendo construídas ou reformadas para a Copa do Mundo de 2014.

Além dos recursos públicos injetados no estádio do Corinthians, há um financiamento de R$ 400 milhões provido pelo BNDES (um banco público) que finaliza a composição financeira da obra.

Tal montante não foi incluído no cálculo porque trata-se de um empréstimo, que deverá ser pago de volta ao banco estatal. Caso não seja, o fiador é o… Banco do Brasil. Outra instituição pública.

Parte dos 12 estádios serão públicos e três são privados (o do Corinthians é um deles). No caso do Maracanã, o Estado do Rio de Janeiro quer privatizar o estádio, orçado até agora em R$ 931 milhões. Fluminense, Flamengo e o empresário Eike Batista já se declararam interessados.

* * *
EU ABRACEI UM HOMEM DE CUECA. A legenda: ‘Grupo de cristãos foi à parada gay com cartazes dizendo “Desculpe-nos pela forma como a igreja tratou vocês”.

Muito bonito. Que sirva de exemplo.

* * *
REMÉDIOS ILÍCITOS NOS EUA, COM APOIO DA GOOGLE. A matéria é do WSJ:

“(…) Google acknowledged in the settlement that it had improperly and knowingly assisted online pharmacy advertisers allegedly based in Canada to run advertisements for illicit pharmacy sales targeting U.S. customers.

“We banned the advertising of prescription drugs in the U.S. by Canadian pharmacies some time ago,” the company said in its sole comment on the matter. “However, it’s obvious with hindsight that we shouldn’t have allowed these ads on Google in the first place.”

The half-billion dollar forfeiture, although historically large, was small change for Google, which holds $45 billion in cash. But the company’s acceptance of responsibility opened the door to potential liability for taking ads from other people involved in unlawful acts online, such as distributing pirate movies or perpetrating online fraud.” Leia aqui na íntegra.

* * *
PELA VALORIZAÇÃO DAS BOLSAS DE PESQUISA. Campanha da Associação Nacional dos Pós-Graduandos.

* * *
ILÊ AIYÊ. O videoclipe da música Ilê Aiyê, que traz juntos pela primeira vez o rapper Criolo e o primeiro bloco afro da Bahia, é uma ode ao Ilê Aiyê, exaltando a Liberdade – bairro com a maior população negra do Brasil – e mostrando um cotidiano valorizado pela simplicidade, autoestima e respeito.

* * *
LUTA TERENA REFORÇADA. Após concluir a graduação em Direito na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em 2011, o indígena Terena Luiz Henrique Eloy foi aprovado no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS).

A cerimônia de entrega das carteirinhas para os novos advogados será nesta segunda-feira (30/1), às 9h, na sede da OAB em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

* * *
MALDITOS. Mais uma ótimo do Quino.

Remoções: ‘É a expressão do mais perversa da nossa sociedade’, afirma especialista

Esta série de vídeos traz trechos de entrevistas gravadas durante o seminário “Impactos Urbanos e Violações dos Direitos Humanos em Megaeventos Esportivos”, realizado em novembro de 2010 em São Paulo.

Guilherme Marques (Soninho), ativista do Rio Janeiro e pesquisador do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ.Neste vídeo, conversamos com Guilherme Marques (Soninho), ativista do Rio Janeiro e pesquisador do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ.

Organizado pela Relatora Especial da ONU para a Moradia Adequada, Raquel Rolnik, e a Universidade de São Paulo, o Seminário reuniu ativistas brasileiros e especialistas de outras cidades internacionais que já sofreram despejos forçados devido a megaeventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Assista aos outros vídeos desta série para ouvir histórias de ativistas resistindo a essas violações em São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Manaus.

Siga a campanha global: http://www.witness.org/campaigns/forced-evictions

Saiba mais sobre o trabalho de Raquel Rolnik, Relatora Especial da ONU para a Moradia Adequada: http://direitoamoradia.org/

Apoie a campanha da WITNESS contra os Despejos Forçados: http://blog.witness.org/category/campaigns/forced-evictions/

Ato pela CPI das Remoções nesta terça (28)

Nesta terça-feira (28/06), às 14h, representantes de diversas comunidades que já foram destruídas ou estão ameaçadas pela Prefeitura do Rio vão à Câmara Municipal tentar sensibilizar os vereadores a instalarem a Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar as irregularidades verificadas nos diversos processos de remoção das comunidades nos últimos meses.

O requerimento para a instalação da CPI foi apresentado há mais de um mês pelo Vereador Eliomar Coelho e apoiado por 13 vereadores que se dignaram a apoiá-lo.

São necessários 17 vereadores.

Para saber mais sobre o tema, clique nos títulos abaixo:

Lá vem a Transolímpica
Por Eliomar Coelho em 25/06/2011

Olimpíadas no Rio: Começa a contagem regressiva para as remoções
Por Tatiana Lima/NPC em 24/06/2011

No Rio de Janeiro, Copa do Mundo já começou
Por Revista Consciência.Net em 24/06/2011

(via RENAJORP)