Polícia usou munição real contra manifestantes no jogo da Argentina no Maracanã

Neste domingo (15), no Rio, no dia do jogo entre Argentina e Bósnia, a Polícia Militar fez uso de munição real contra manifestantes nos arredores do Maracanã. Na Avenida 28 de Setembro, um policial da Tropa de Choque em uma motocicleta se aproximou de um grupo de manifestantes, sacou sua arma e disparou no sentido deles, sem nenhum pudor por estar sendo gravado.

Momentos depois, um manifestante abordou nossa equipe dizendo que havia sido atingido no tornozelo pelos estilhaços do disparo.

Logo em seguida, um policial à paisana sacou a sua arma e ameaçou um grupo de manifestantes. Em seguida ele saiu em um carro conduzido por outro homem, atirando o veículo contra a multidão e disparando tiros de pistola.

ATUALIZAÇÃO: Policiais são afastados após usarem armas em ato no Rio — uma medida obviamente paliativa, pois afastar não é punir. Atirar a esmo deveria ser, numa democracia, um crime dos mais graves.

Um homem, supostamente um policial à paisana, sai do carro armado, ameaça a imprensa e manifestantes e atira para o alto. Foto (acima): Ana Carolina Fernandes

Rio na RuaRelato do Rio na Rua:

“Cápsula de .40 com a inscrição CBC. Manifestante pegou o artefato na avenida 28 de Setembro e relata que os tiros foram disparados por um policial a paisana.”

E o registro do Coletivo Carranca, via jornal A Nova Democracia (saiba mais aqui):

O registro do “Diário de um manifestante”:

Relato de Fabiane Simão: “Consegui chegar em casa. Um pequeno panorama do que vi: 28 de Setembro tomada pela polícia do exército, fechada p passagem de carros e com manifestações em algumas ruas transversais. Muita gente filmando e fotografando. O gás lacrimogênio pairava na atmosfera de toda a 28 de Setembro (uma via extensa), clima muito tenso. Teodoro da Silva super policiada, mas apesar disso um astra passou em um ponto de ônibus na esquina da Pereira Nunes e baleou 4 pessoas. E vc ainda acha que a Copa é tudo de bom?!? A Copa é boa para a FIFA, que diferente de mim e vc está isenta de impostos e com os cofres cheios de dinheiro!!”


(via jornal Extra)

E por Paula Kossatz:

E Rio na Rua:

* * *
Jornalista do jornal O Globo é presa por fazer seu trabalho de impresa

A justificativa para a arbitrariedade é a mesma: “desacato à autoridade”, leia aqui.

Foda-se a Constituição, diz em letras garrafais a Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Seria um “desvio de conduta” se não acontecesse todos os dias. Como é da grande imprensa, e traz portanto grande repercussão, a resposta foi imediata: nota da Secretaria, prisão administrativa (um paliativo, diga-se de passagem). No caso da imprensa nanica e dos jornalistas-cidadãos, até agora ninguém foi punido, desde o início das grandes manifestações, ano passado.

Desvio é uma coisa. Orientação informal é outra. Não confundir.

* * *
“A Copa do Mundo no Brasil é um sucesso”

Fotos: Edmar Soares, do jornal O Povo, e Portal G1
Fotos: Edmar Soares, do jornal O Povo, e Portal G1

Estou relendo repetidamente algumas pessoas “comemorarem” isso. Os jogos estão acontecendo, gols e futebol bonito, os gringos tudo aí pagando direitinho os preços exorbitantes. Parabéns, FIFA, com dinheiro público jorrando é possível fazer uma festa bem bacana.

Só fico na dúvida em relação a qual parte eu considero o maior sucesso desta Copa.

Será na moradia, em que cerca de 170 mil famílias estão ameaçadas de remoção no país por obras relacionadas aos megaeventos?

Ou será na falta quase que total de legado para o país em termos de mobilidade urbana? Ou será ainda no legado ambiental?

Será que o sucesso maior foi na brutal repressão da polícia, com aparato e planejamento do Estado, a pedido da FIFA? Ou ainda na falta absoluta de participação popular, com ingressos caros e restrições às festas e ao comércio?

Não sei. Ao ler o relatório sobre as violações dos direitos humanos nos megaventos, me bateu essa dúvida: http://bit.ly/DossieCopa

A única coisa que eu sei ao certo é que eu tomo como critério para o “sucesso” o respeito aos direitos humanos e ao meio ambiente.

É que muitos adotam critérios fundamentados no ser humano e na saúde do planeta. Mas daí vai de cada um, né? É um direito fundamental também, hoje em dia, a liberdade de ignorar a opressão e o sofrimento alheio.

Torcemos, como fãs do futebol que somos, mas sem tirar os olhos da realidade. Não faz bem pra democracia.

* * *
Sobre a abertura da Copa. “(…) dei uma risada alta e com gosto quando, no início do jogo, falou-se em “um aperto de mão pela paz”, e quando três pombas foram soltas em nome da “tolerância e respeito aos direitos humanos”.

(…) Temi pelo destino e pela integridade física daquelas três pombas, porque todos nós sabemos o tratamento dado a quem se desvia da rota ou não está nos planos oficiais. Felizmente, desta vez a artilharia antiterrorista não precisou ser acionada.” (leia aqui)

Copa ostentação, com povo de fora. Look ‘patinadora’ de Claudia Leitte para a abertura da Copa custou R$ 2,7 milhões (leia aqui).

* * *
O Brasil tem maioria de negros, pardos e outros pele-escura-passado-africano. Mas o país da bola é o país da desigualdade. Dos branquelo-é-tudo-nosso.

Leandro Uchoas: “Querida Dilma, assim como você, fiquei envergonhado e triste ao ver a elite branca brasileira te dirigindo palavras desrespeitosas, como presidente e como mulher. Você não imagina como eu gostaria de ver um estádio lotado de pessoas do povo, negros e pobres, gritando o seu nome, felizes por assistir a uma Copa do Mundo em seu país. Você não sabe como eu gostaria de ver tudo ao inverso de como foi. Mas essas pessoas não estavam lá, presidente. Infelizmente, você entregou uma Copa do Mundo para aqueles que te odeiam.”

* * *
“Não somos racistas”, já disse um executivo da mídia brasileira: Marcelo sofre racismo após gol contra: “tinha que ser preto”

E quando você acha que estamos entrando, finalmente, no século 21, deparamos com 1933: Extrema-direita vence na França e ganha terreno em toda a UE

* * *

Foto: Analise da Silva, mais aqui

* * *

Foto: Ana Carolina Fernandes, mais aqui

Relato das agressões e tortura sofrida por uma repórter da Mídia Ninja em Belo Horizonte: “Vocês são o câncer do mundo”

* * *
Enquanto isso, “longe” da Copa…

Menino de 13 anos morre após tiroteio em comunidade pacificada no Rio: http://t.co/K87euCEgJR

Natal decreta calamidade pública no dia em que EUA e Gana se enfrentam: http://glo.bo/1lDVvXx

Com verba de turismo, Prefeitura de Manaus gasta R$ 139 mil para vereadores assistirem Inglaterra e Itália: http://goo.gl/3XXJnl

* * *

Imagens impressionantes, na imprensa internacional (aqui).

* * *
Bósnia 20 anos depois. Porque estou torcendo para que a Bósnia faça uma belíssima apresentação — leia aqui.

* * *
Agressões verbais. A seleção colombiana enviou queixa à Fifa por tratamento da polícia em São Paulo. “(…) A delegação falou que sofreu agressões verbais e um tratamento desrespeitoso por parte de alguns membros da polícia em sua chegada no aeroporto de Congonha, de onde foi para o CT do São Paulo, em Cotia.” (leia aqui)

* * *
No país das próximas Olimpíadas, estádio de atletismo virou estacionamento

Do mandato do deputado Marcelo Freixo: “O Celio de Barros é o único local de treinamento adequado no Rio de Janeiro para todas as modalidades de atletismo das Olimpíadas. O espaço foi fechado foi asfaltada em janeiro de 2013 sem aviso prévio aos atletas, professores, treinadores e alunos dos projetos sociais. Desde então, todos estão treinando agora na rua, de forma improvisada, a 2 anos dos Jogos Olímpicos.

No dia 29 de abril de 2014, a Comissão de Direitos Humanos da Alerj realizou audiência pública para debater o futuro do estádio. Queremos que a secretaria da Casa Civil receba os atletas e professores para apresentar à sociedade civil interessada um projeto de reforma do espaço para que volte a ter seu uso público.

Para todos que conhecem o espaço e sua importância, é muito triste ver essa imagem.”

Foto: Daniel Vasconcellos

* * *
Os bons exemplos. Taxista encontra 40 ingressos da Copa no carro e devolve a mexicanos. “(…) Mas Adilson não fez isso de graça. “Como recompensa, pedi que torcessem para o Brasil.” (leia aqui)

E os japoneses deram exemplo: Saco de lixo para torcer e para limpar estádio.

* * *
Copa sem imigrantes: como seria?

Como seriam as seleções sem os imigrantes? Leia neste artigo.

A França, por exemplo, teria pelo menos 12 jogadores a menos.

* * *
Dancinha da Costa do Marfim

Gostou da “dancinha do traseiro” da torcida da Costa do Marfim? Eis a origem:

E o contexto: http://bbc.in/1nFsE56

* * *
Achei plágio

* * *
Um grande clássico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *