Luther King cada dia mais atual

Cada dia que passa, curiosamente, está cada vez mais atual:

“(…) Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranquilizante do gradualismo. (…) Seria fatal para a nação negligenciar a urgência desse momento. 1963 não é um fim, mas um começo.

Aqueles que creem que o negro precisava só desabafar, e agora estará contente, terão um despertar violento [rude awakening] se a nação voltar aos negócios de sempre. Não haverá tranquilidade nem descanso (na América) até que o negro tenha garantido todos os seus direitos de cidadania.

(…) No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações injustas. Não devemos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas para enfrentar a força física com a força da alma.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *