[Mapa da Corrupção: Alagoas]
 

brasília
PPS, PSOL e PV pedem cassação de João Caldas e Capixaba

Três partidos ingressaram nesta quarta-feira com representação no Conselho de Ética da Câmara contra os deputados Nilton Capixaba (PTB-RO) e João Caldas (PL-AL), envolvidos com a máfia dos sanguessugas. PPS, PV e PSOL pedem o afastamento dos deputados da terceira e quarta-secretarias da Câmara e a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar. A punição prevista nesse caso é a cassação do mandato. Matéria na na Folha Online, 12/7/2006.

Lessa denuncia 'mensalão' em Alagoas

MACEIÓ. O governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT), acusou ontem o PTB de financiar o pagamento de um mensalão em Alagoas. Segundo Lessa, o esquema seria comandando pelo presidente do partido no estado, o deputado federal João Lyra, e o dinheiro se destinaria a integrantes da Justiça de Alagoas, que fariam parte de uma “folha do mensalão”. De acordo com Lessa, um juiz da Justiça Eleitoral de Maceió seria um dos beneficiários do mensalão. Na semana passada o juiz tornou o governador inelegível por três anos por prática de abuso de poder na campanha para prefeito, ano passado. Do jornal O Globo, 29/6/2005..[+]

Ronaldo Lessa inelegível por 3 anos

A Justiça Eleitoral de Alagoas tornou inelegível por um período de três anos o governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT) -condenado por suposto ato de abuso do poder político e de autoridade na eleição municipal de 2004. Cabe recurso à decisão. A sentença foi assinada pelo juiz James Magalhães, da 3ª Zona Eleitoral de Maceió, capital do Estado. A ação foi movida pela coligação do então candidato do PDT à Prefeitura de Maceió, Cícero Almeida, hoje no cargo pelo PTB. Ronaldo Lessa, segundo a acusação, teria prometido reajustar os salários dos servidores estaduais em troca de apoio ao candidato Alberto Sexta-Feira (PSB) - que foi derrotado nas eleições de 2004. Da Folha de S. Paulo, 24/6/2005..[+]Do Jornal do Brasil, 24/6/2005..[+]

Soltos 12 acusados de corrupção em Alagoas

MACEIÓ. A Justiça Federal manteve a prisão preventiva de até 90 dias para 19 dos 31 presos pela Operação Gabiru, entre eles prefeitos, ex-prefeitos, empresários, funcionários da Caixa Econômica Federal, de prefeituras e agiotas. Os outros 12 acusados de pertencer à quadrilha que desviava dinheiro da saúde e do Fundef (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério) em Alagoas ganharam o direito de aguardar o julgamento em liberdade. Oito deles saíram carceragem da Polícia Federal já na manhã de ontem (26/5). Do jornal O Globo, 27/5/2005..[+]

Operação Gabiru: 19 presos 

MACEIÓ. A Justiça Federal decretou ontem a prisão preventiva de 19 pessoas - entre elas oito prefeitos, quatro ex-prefeitos, secretários municipais e empresários - suspeitas de desviar dinheiro destinado à merenda escolar em Alagoas e de lavagem de dinheiro. A maioria dos investigados estava presa desde o dia 17, quando a Polícia Federal desencadeou a Operação Gabiru. Na operação foram cumpridos 31 mandados de prisão temporária e 61 mandados de busca e apreensão de documentos. Do Jornal do Brasil, 27/5/2005..[+]

Lessa exonera presidente da Funesa por telefone

O governador Ronaldo Lessa (PSB) exonerou, ontem, por telefone, o advogado Júnior Magalhães (PSB) do cargo de diretor-presidente da Fundação Universidade Estadual de Alagoas (Funesa). A "queda" representa a "vitória" do grupo dos professores Edel Guilherme, Luís Geraldo, Eraldo Saturnino e Jean Marcelo...Gazeta de Alagoas, 12/11/2004

Ex-presidente da Funesa vai ser investigado

O diretor-presidente da Fundação Universidade Estadual de Alagoas (Funesa), Júnior Magalhães (PSB), instaurou, ontem, comissão de sindicância para apurar supostos atos de improbidade administrativa que teriam sido praticados na gestão do ex-presidente e professor José Guedes (PSB), atual assessor da Governadoria do Agreste, em Arapiraca. As denúncias, segundo Júnior Magalhães, fazem parte de um relatório da Controladoria Geral do Estado (CGE), responsável pela análise de contas de órgãos da administração estadual...Gazeta de Alagoas (AL), 11/11

PF abre inquérito contra 3 vereadores eleitos

Os vereadores eleitos Paulo Corinthio (PV), Zé Márcio (PTB) e Marcelo Victor (PV) vão responder a inquérito na Polícia Federal por corrupção eleitoral. Os vereadores foram denunciados pelo promotor da 2ª Vara Eleitoral, Carlos Tadeu Villanova Barros, por suposta compra de votos na eleição de 3 de outubro. Zé Márcio, Corinthio e Marcelo Victor foram citados no artigo 299 do Código Eleitoral...Gazeta de Alagoas (AL), 5/11

Inquérito sobre Cayman vai investigar empresa que seria da família Collor.[junho de 2003]

Polícia Federal indicia ex-presidente Collor.[maio de 2003]