Transgênicos: arquivo 2000-2007
.

Leia aqui as últimas notícias sobre o tema.

AÇÃO DIRETA # 20/09/2007
Mulheres protestam contra milho transgênico em reunião da CTNBio

Grávidas, mães e mulheres temem pelo futuro alimentar da população brasileira diante da falta de pesquisas sobre os riscos do milho transgênico..[+]

POLÊMICA # 08/08/2007
Ibama e Anvisa pedem anulação da liberação de milho transgênico

Dois recursos apresentados ao Conselho Nacional de Biossegurança apontam irregularidades na liberação comercial do milho Liberty Link, da Bayer. Lista com sugestões para a CTNBio é encaminhada à ministra Dilma Rousseff. Matéria da Carta Maior.

segurança alimentar
Paraná mantém fiscalização de produtos transgênicos

O governo do Paraná anunciou que, dentro de dez dias, equipes de técnicos de várias secretarias começarão a fiscalizar a rotulagem dos produtos que entrarem no Estado, informou o site Documento Reservado. A base do trabalho é o Código de Defesa do Consumidor, que prevê o direito às informações sobre o produto e a Portaria Ministerial que determina a rotulagem de alimentos com 1% ou mais de organismos geneticamente modificados. As empresas que descumprirem as normas estão sujeitas a multas entre R$ 212,82 e R$ 3,1 milhões. O governo mudou a base da fiscalização, em razão de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter declarado inconstitucional a lei paranaense que previa rotulagem em produtos com menos de 1% de OGM. O governo deve enviar à Assembléia Legislativa um novo projeto de lei, adequando-se à lei federal, que tolera até 1% de transgenia..(5/6/2006)

'terminator'
Começa a discussão oficial sobre as sementes suicidas

Grupo de Trabalho iniciou uma rápida discussão sobre as sementes suicidas e decidiu manter a proibição de fazer plantações, comerciais ou experimentais, de plantas que utilizem tecnologias genéticas de restrição e uso, as GURTs. Segundo Benedikt Haerlin, da campanha de Engenharia Genética do Greenpeace Internacional, os Terminators são uma arma de destruição em massa que estará nas mãos das grandes empresas de biotecnologia para destruir a soberania alimentar do povo brasileiro. Por Paula Batista e Clarissa Taguchi, para a Revista Consciência.Net, 24/3/2006..[+]

terminator reprovado
“Hoje as sementes estão em festa”

Grupo de trabalho sobre tecnologias de restrição de uso genético, que debateu as sementes Terminator, decide encerrar as discussões sobre o tema na COP-8, em Curitiba, rejeitando todas as modificações no texto original que atualmente impede testes em campo e comercialização das sementes estéreis. Ativistas, indígenas e camponeses comemoram. Matéria de Verena Glass na Agência Carta Maior, em 24/3/2006.

eat it up
GM soybean: Latin America's new colonizer

In Latin America, the frontiers to soybean production are being pushed back aggressively in all directions at a breathtaking rate. Driven by export pressures and supported by government incentives, soybean fields are taking over forests and savannah in an unprecedented manner. The implications of the monoculture model and its supporting machinery for the environment, farmers and communities are discussed in this article made by two very known agroecologists, Miguel Altieri and Walter Pengue. (mar/2006)

biorrisco
Primeiro relatório global sobre contaminação transgênica revela casos de disseminação de OGMs proibidos no mundo

O Relatório sobre Registro de Contaminação Transgênica, organizado pelo Greenpeace e pela organização GeneWatch, do Reino Unido, narra 113 casos de contaminação transgênica que aconteceram nos últimos 10 anos em 39 países. Segundo o relatório, o número de países afetados é o dobro daqueles que permitem oficialmente o cultivo de transgênicos. Só em 2005 foram registradas ocorrências em 11 países, incluindo alguns que supostamente possuem um sistema de controle rígido, como o Reino Unido. Divulgado em 8/3/2006. Leia o relatório completo aqui.

biossegurança
Brasil ruma dividido em encontro à ONU

Além dos embates Norte-Sul, tradicionais nesse tipo de encontro, há um impasse também dentro do governo brasileiro, um setor com posições conservacionistas e outro interessado em exportar transgênicos. A frase polêmica está no artigo 18A do texto do Protocolo de Cartagena. Os membros do acordo se reunirão em Curitiba para resolver se o texto dirá que determinada carga "contém" ou "pode conter" transgênicos. "Defender os transgênicos na MOP-3 seria uma punhalada nos países em desenvolvimento", diz Marcelo Furtado, coordenador de campanhas do Greenpeace no Brasil. "O Brasil pode virar o país que enterrou o protocolo de biossegurança", continua. Matéria da Folha de S. Paulo em 4/3/2006.

mais sementes transgênicas
DuPont quer soja transgênica própria até 2009

A DuPont, a maior produtora mundial de sementes de milho e de soja, pretende iniciar a venda e o licenciamento de sua própria versão de sementes transgênicas resistentes a herbicidas em 2009. A nova semente chega para concorrer a tecnologia Roundup da Monsanto. A unidade Pioneer Hi-Bred International da DuPont prevê receber daqui a três anos a aprovação nos Estados Unidos para sementes de milho e soja que resistem ao glifosato, o nome genérico do herbicida Roundup da Monsanto, a ser vendido com o nome de marca Optimum GAT, disse o porta-voz Doyle Carr. As sementes resistem também aos chamados herbicidas ALS, como o sulfonilurea, ele disse. Nota da Gazeta Mercantil do dia 4/3/2006.

biorrisco
Ibama busca responsabilidade da Monsanto em transgênicos próximo ao Parque Nacional do Iguaçu

O gerente executivo do Ibama no Paraná, Marino Gonçalves, esclarece alguns pontos sobre a nota distribuída à imprensa pela multinacional Monsanto, dia 24, questionando a competência do instituto para fiscalizar sementes transgênicas na operação Parque Livre, o que resultou no embargo de 13 lavouras com soja geneticamente modificada situadas no entorno do Parque Nacional do Iguaçu. "Cabe também ao Ibama fiscalizar essas áreas, pois estão em local de preservação e fará fazer valer a lei e o respeito à legislação do Brasil", informou. Matéria divulgada no portal EcoDebate, em 1/3/2006.

Terminator
Seeds of dispute

Tensions between Monsanto and Argentina are escalating as the US biotech company steps up its efforts to win back control over booming Latin American soy production. Brazil and Argentina are, after the US, the two largest soy producers in the world. Brazilian farmers planted 9.4m hectares of GM soy last year, an increase of 88% on 2004. (...) Following industry lobbying, the UN Convention on Biological Diversity is due to consider case-by-case testing of terminator technologies in its annual meeting in Brazil on March 20. Published at The Guardian date February 22,2006.

Terminator
Monsanto se compromete a não utilizar a tecnologia Terminator

Com relação à notícia veiculada no site Eco Debate sobre o desenvolvimento da tecnologia terminator pela Monsanto, para a produção de sementes estéreis, a empresa esclarece que não vai utilizar esse recurso, como já havia declarado em anúncio público  feito em 1999. A  Monsanto não produz e nunca produziu sementes estéreis, com a tecnologia terminator. Para a Monsanto, o uso desta ferramenta prejudicaria produtores de pequenas propriedades, principalmente de países em desenvolvimento, o que vai contra o comprometimento da empresa em trazer melhores tecnologias para auxiliar a produção local. Do Eco Debate, 24/2/2006.

congresso
Deputada quer legalizar tecnologia Terminator no Brasil

Projeto de lei da deputada Kátia Abreu (PFL-TO) quer legalizar no país uso de tecnologia que esteriliza sementes. MMA e ONGs ambientalistas protestam e alertam para perigo de dependência econômica e poluição genética. Matéria de Natalia Suzuki na Agência Carta Maior, em 13/1/2006.

rio grande do sul
Ministério da Agricultura confirma lavoura de milho transgênico

Depois de comprovada a venda ilegal de semente de milho transgênico no Rio Grande do Sul, o Ministério da Agricultura agora confirma o plantio dos grãos no estado. A primeira denúncia confirmada no estado foi feita pela Via Campesina em novembro do ano passado. Com o receio de perder mercados importantes, como a Europa, 21 frigoríficos gaúchos farão testes de transgenia no milho que fornecem aos seus aviários integrados a partir desta safra, que começa a ser colhida na metade de janeiro. As empresas querem garantir o status de produto livre de organismos geneticamente modificados.(6/1/2005)

CTNBio
Biossegurança: pela participação dos cientistas brasileiros

Mais de 200 pesquisadores da área da agroecologia conclamam a comunidade científica a compor uma nova CTNBio mais plural, isenta e transparente. Assembléia da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), Florianópolis, 20 de outubro de 2005..[+]

campanha
Abra os olhos e feche a boca para os transgênicos

Transgênicos detonam o meio ambiente, poluindo e contaminando outras plantações. Também sabemos que os transgênicos e o monopólio da produção de sementes podem acabar com o pequeno agricultor brasileiro. A Bunge, empresa líder de mercado, tem enorme responsabilidade sobre isso, pois vende soja transgênica. Veja vídeo sobre o assunto. Da Agência Consciência.Net, 16/8/2005..[+]

falha
Mexicano falha em detectar contaminação em milho

Quatro anos depois da suposta descoberta de contaminação de milho nativo do México por pólen de milho transgênico, um novo estudo falhou em encontrar traços de organismos geneticamente modificados na região que é o berço do cereal. O trabalho, no entanto, enfatiza que suas conclusões só refletem condições recentes - e não o futuro. O estudo foi publicado neste mês pela revista da Academia Nacional de Ciências dos EUA, a "PNAS". Ele foi realizado nas montanhas do Estado de Oaxaca, a mesma região onde, em 2000, pesquisadores independentes encontraram evidências de contaminação por transgênicos. Da Folha de S. Paulo, 13/8/2005..[+]

alerta
Nova investida transgênica da Monsanto: patentear porcos

De acordo com o investigador do Greenpeace, Christoph Then, a empresa tem pedidos de patente não apenas para métodos de procriação de porcos, mas também para os animais genitores e suas crias. Ao fazer um pedido de patente, a empresa se diz inventora de algo e, para o Greenpeace, é isso que a Monsanto está dizendo: “apresentamos nossa nova criação, os porcos”.“A ‘invenção’ principal, aqui, não é nada mais do que uma combinação desses elementos desenhados para acelerar o ciclo de procriação para características selecionadas e, com isso, tornar esses animais mais lucrativos comercialmente”, diz um comunicado do Greenpeace. Do Brasil de Fato, 11/8..[+]

monsanto
No Paraná, soja transgênica custa o dobro da convencional 

Além de não haver estudos suficientes sobre os impactos dos transgênicos no ambiente e na saúde humana, agora as sementes de soja geneticamente modificadas vão custar ainda mais caro: o dobro da convencional. É que a multinacional estadunidense Monsanto, que produz e fornece as sementes transgênicas aos agricultores, anunciou que vai cobrar R$ 0,88 por quilo do grão que contiver o “gene RR”, a título de royalty (taxa paga ao dono da marca pela exploração comercial do produto). Do Brasil de Fato, 11/8/2005..[+]

reivindicação
Campanha pede regulamentação da Lei de Biossegurança

Entidades da Campanha por um Brasil Livre de Transgênicos solicitam providências quanto à elaboração do decreto regulamentador da Lei de Biossegurança em carta à Ministra da Casa Civil, Dilma Roussef. Da Agência Consciência.Net, 10/8..[+]

retrocesso
Comissão da Câmara rejeita plebiscito sobre alimentos transgênicos

A Comissão de Agricultura, Abastecimento, Pecuária e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados rejeitou na última quarta (3/8) o Projeto de Decreto Legislativo 1238/01, do deputado Fernando Ferro (PT-PE), que prevê a realização de plebiscito sobre a liberação dos alimentos transgênicos no Brasil. Do Ambiente Brasil, 5/8..[+]

precaução
Suíça proíbe colheitas de produtos transgênicos

A Suíça aprovou em um referendo, realizado neste domingo, o banimento de cinco anos às plantações de grãos geneticamente modificados. Um total de 55,7% do eleitorado votou a favor da proibição. Fazendeiros suíços votaram a favor do banimento. Eles argumentam que as produções de transgênicos poderiam danificar os produtos orgânicos. Mas a indústria de biotecnologia diz que o país precisa aceitar os novos desenvolvimentos. Pesquisas mostram que os consumidores suíços não comprariam produtos geneticamente modificados. A União Européia levantou a moratória às colheitas transgênicas no ano passado. Informação da BBC Brasil, 27/11/2005.

tática
Monsanto maquia crise transgênica

Uma doação de 5 mil dólares ao Hospital de Caridade de Três Passos, no norte do Rio Grande do Sul, revela a forma como a transnacional dos transgênicos atua. Enquanto o diretor de Assuntos Corporativos, Rodrigo Almeida, promove o nome da empresa doando uma módica quantia (para os cofres da Monsanto), a cidade sofre com a crise do agronegócio. Do Brasil de Fato, 24/6..[+]

educação ambiental
MinC manda suspender revistas patrocinadas pela Monsanto

Ministério da Cultura avaliou que conteúdos editoriais de publicações apoiadas pela Monsanto e distribuídas em escolas públicas do Brasil não estavam inteiramente de acordo com os projetos beneficiadas pela Lei de Incentivo à Cultura. Da Agência Carta Maior, 27/4..[+]

Monsanto financia projeto que distribui material didático

Líder do mercado de transgênicos no Brasil firmou acordo com editora para distribuição de material didático e publicações sobre agricultura e meio ambiente em escolas públicas. Parceria preocupa educadores, mas editora nega que haja propaganda da empresa ou de transgênicos. Da Agência Carta Maior, 26/4..[+]

Sadia
Sadia descarta milho transgênico

SÃO PAULO. A Sadia, maior exportadora de carne de frango do país, não recorrerá mais a milho ou soja geneticamente modificados para compor a ração de aves ou suínos utilizados para corte. Fontes da empresa admitiram, extra-oficialmente, que a intenção é não melindrar importadores europeus e asiáticos, tradicionalmente avessos aos transgênicos. Do Jornal do Brasil, 22/4..[+]

Monsanto
Produtor do RS fica livre de pagar royalties

O produtor de soja transgênica, Gilberto Cassol, do município de Três Passos (RS), não terá de pagar royalties para a Monsanto na venda do produto para as cooperativas ou empresas que comercializam a safra. A decisão é da juíza Cátia Paula Saft, da 1ª Vara Cível da Comarca de Três Passos. Cabe recurso. Segundo ela, a cobrança “não segue um parâmetro jurídico ou legal, mas sim uma verdadeira busca de lucro fácil às expensas dos produtores rurais, que, sem alternativa, necessariamente são obrigados a pagar o valor”. Do Consultor Jurídico, 15/4..[+]

Sociedade vai reagir aos transgênicos

Não satisfeitos com os superpoderes que a aprovação do projeto de lei (PL) de Biossegurança lhes confere, os membros da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) autorizaram, dia 17/3, o plantio e a comercialização, no Brasil, do algodão transgênico Bollgard, da transnacional Monsanto. A decisão foi tomada antes mesmo de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionar o PL. "Além da sanção presidencial, eles não poderiam ter liberado essas sementes porque há uma ação na Justiça que proíbe a Comissão de tomar esse tipo de decisão. Os membros da CTNBio agem segundo sua própria lei", afirma Gabriel Fernandes, assessor técnico da Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (AS-PTA). Do Brasil de Fato, 24/3..[+]

Campanha pede veto de Lula aos transgênicos

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (2/3/2005) a Lei de Biossegurança, que estabelece critérios para uso e cultivo de transgênicos no Brasil. A lei aprovada é muito diferente do PL (Projeto de Lei) original elaborado pelo governo federal, uma vez que dispensa a obrigação de licenciamento ambiental pelo Ministério do Meio Ambiente e de avaliação de segurança à saúde pelo Ministério da Saúde. Sem estas ferramentas, o meio ambiente e os consumidores podem estar sujeitos a danos irreversíveis ainda não identificados adequadamente pela comunidade científica. [+]

Pressão biônica

O lobby das sementes transgênicas – formado pela transnacional Monsanto, o ministro do latifúndio, fazendeiros que não se preocupam com o meio ambiente e a imprensa de direita – está fazendo campanha pesada contra o governador Roberto Requião, do Paraná, que insiste em preservar o porto de Paranaguá exclusivo da soja natural. O governo federal correu da luta e lavou as mãos. Por.Hamilton Octavio de Souza, 24/3, no Brasil de Fato

Bautista Vidal reprova Lei de Biossegurança

"O grave problema dos transgênicos é a fraude de patentear seres vivos, no caso as sementes de soja que podem se generalizar a todas as demais sementes. A patente corresponde a um monopólio de extensão mundial. Com que direito um grupo econômico detém o direto sobre os seres vivos em regime de monopólio? O direito a patentes sempre se relaciona com uma invenção nova. Quem inventou a vida? Como pode ser admitido esse atentado à vida?" Leia mais na entrevista com José Walter Baustista Vidal, um dos cientistas que condenam a aprovação da Lei de Biossegurança Da Tribuna da Imprensa, 7/3..[+]

Guerra contra transgênicos continua

BRASÍLIA. A aprovação do Projeto de Lei de Biossegurança na Câmara não vai abrandar a briga do Greenpeace contra a utilização de organismos geneticamente modificados (OGMs). Pelo contrário. A ONG promete reforçar ainda mais sua estratégia de comunicação no Brasil nesta área. O Greenpeace planeja destinar ao país, em 2005, 30% da verba mundial da campanha contra os transgênicos que, em 2003, chegou a 1,5 milhão de euros. Do Jornal do Brasil, 6/3..[+]

políticas públicas
Marina critica poder dado à Comissão de Biossegurança

BRASÍLIA. A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, reagiu ontem à aprovação da Lei de Biossegurança no que se refere ao poder deliberativo que o texto dá à Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), que decidirá sobre a comercialização de produtos transgênicos. Em nota, Marina disse que o novo modelo de regulação tira a competência do governo ao atribuir à CTNBio o poder de decidir sobre a necessidade de realização do licenciamento ambiental. Segundo petistas, a ministra teria cogitado até mesmo deixar o governo. Ontem à noite, Marina negou-se a falar sobre a possibilidade de deixar o governo. Do jornal O Globo, 4/3..[+]

Ong confirma que é patrocinada por multinacionais

A organização não-governamental Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB), em correspondência enviada a Agência Estadual de Notícias, assinada por Antonio Celso Vilari, informa que não é apenas financiada pela Monsanto, mas "patrocinada por um grupo de empresas multinacionais, como: Syngenta Seeds, Bayercropsciencies, BASF, DuPont/Pioner, Dow Agrosciences e Monsanto". E esclarece também que o CIB conta com 70 conselheiros e que "nenhum deles é contratado pela ONG". A campanha a favor dos transgênicos no Brasil está sendo financiada pelo CIB, que recebe recursos das empresas multinacionais, para promover a difusão da cultura de produtos geneticamente modificados na agricultura brasileira. Da Agência Estadual de Notícias, 26/2..[+]

Milho transgênico proibido é usado em programa de ajuda alimentar dos EUA

NICARÁGUA. Uma aliança de organizações ambientalistas, de agricultores, consumidores, direitos humanos e sindicatos em cinco países da América Central está acusando o Programa Mundial de Alimentos (PMA), do Departamento Americano de Agricultura (Usda, na sigla em inglês) de menosprezar as preocupações da sociedade civil sobre os riscos potenciais dos transgênicos. Estas organizações apresentaram publicamente na semana passada os resultados de análises laboratoriais que mostram a presença do milho transgênico StarLink em produtos de ajuda alimentar distribuídos na região. Do EcoAgência Solidária, 21/2..[+]

Soja transgênica perde mercado na Austrália

As três maiores empresas australianas de criação de aves - Inghams, Bartter Steggles e Baiada - comprometeram-se a não utilizar soja transgênica na ração animal. Juntas, as três empresas respondem por cerca de 80% das vendas de produtos avícolas australianos e também são responsáveis pela maior parte das 300 mil toneladas de soja importadas pelo país. É na importação da soja que a cadeia alimentar australiana é contaminada pelos transgênicos.

"A opção pela importação de soja convencional ajudará a manter a soja transgênica fora da Austrália e pode criar um precedente importante para outros países", disse Ventura Barbeiro, engenheiro agrônomo do Greenpeace. "Esta é uma grande oportunidade para o Brasil se candidatar como fornecedor de soja não-transgênica para o mercado australiano. Entretanto, o Brasil certamente terá que dar garantias que, além de não-transgênica, a nossa soja não venha de produtores que destruíram a Floresta Amazônica para produção do grão", concluiu Barbeiro. Do EcoAgência Solidária, 15/2..[+]

Justiça do Rio Grande do Sul decide nesta quinta sobre royalties da Monsanto

PORTO ALEGRE. A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do RS apreciará, na próxima quinta-feira (17/2), agravo de instrumento interposto pela Cooperativa Tritícola Mista Campo Novo Ltda. O relator é o juiz convocado Pedro Luiz Pozza. A decisão da Justiça de Campo Novo havia postergado a apreciação do pedido de suspensão do pagamento de royalties à Monsanto pela utilização de soja transgênica até a apresentação da contestação pela empresa. Acatando pedido de liminar na ação de agravo, em janeiro deste ano, o juiz plantonista do TJ Victor Luiz Barcellos Lima suspendeu liminarmente o pagamento do valor de R$ 1,20 por saca de soja, ao conceder o efeito suspensivo ativo à ação. Do EcoAgência Solidária, 11/2..[+]

Transgênicos a qualquer preço

CIDADE DO MÉXICO. O cientista Ignácio Chapela, que ganhou notoriedade em 2001 por descobrir que o milho crioulo mexicano havia sido contaminado com transgênicos, anunciou ao Terramérica que passará da ofensiva na guerra que, assegura, mantêm contra ele as multinacionais da biotecnologia. Após sofrer o que descreve como “três anos de ataques e desprestígio”, que o deixa a ponto de perder seu cargo de professor e pesquisador de Ecologia Microbiana na Universidade de Berkeley (EUA), o mexicano Chapela, de 45 anos, disse que apresentará uma denúncia em tribunais norte-americanos sobre seu caso. Do EcoAgência Solidária, 9/2/2005..[+]

Governo do Paraná esclarece dúvidas sobre transgênicos

Para contribuir com o debate e esclarecer a população e a sociedade em geral sobre os malefícios dos transgênicos, o governo estadual divulgou, em dezembro de 2004, um documento no qual constam as perguntas mais comuns que as pessoas fazem sobre transgênicos e as respostas preparadas por suas equipes técnicas. Para as perguntas que comumente são feitas sobre o assunto foram preparadas respostas objetivas e com fundamento em fatos, resultantes tanto da experiência de agricultores brasileiros como de outros países. Eis as perguntas e respostas. Do Brasil de Fato, 13/1/2005..[+]

Lula deve sancionar hoje Medida Provisória que libera plantio de transgênicos

O Ministério da Agricultura enviará só amanhã o documento exigido pela China para garantir a segurança da soja transgênica exportada pelo Brasil. O motivo é que o presidente Lula deve sancionar hoje a Medida Provisória nº 223, que autoriza o plantio e a comercialização da atual safra (2204/05) de soja transgênica no país. Da Gazeta Mercantil, 12/1/2005..[+]

Monsanto paga multa de 1,5 milhão por subornar autoridade na Indonésia

A empresa multinacional agroquímica Monsanto vai pagar uma multa de 1,5 milhão de dólares por subornar uma autoridade da Indonésia para facilitar a introdução de produtos transgênicos no país. A empresa admitiu que há três anos pagou 50 mil dólares a um integrante do governo indonésio para facilitar a aprovação da introdução do algodão. O departamento de justiça dos Estados Unidos anunciou o acordo pelo qual a multinacional vai pagar a multa em troca de que as autoridades não apresentem nenhuma acusação formal durante os próximos três anos. Neste período, a empresa será monitorada e caso cumpra todos os termos do pacto, o caso será abandonado. Por Daniela Stefano, do Portal do MST, 7/1/2005..[+]

Contaminação transgênica

Um fato novo confirma uma das principais preocupações dos críticos dos transgênicos em relação a sua liberação indiscriminada e sem controle: a contaminação. Cientistas da  Agência Norte Americana de Proteção ao Meio Ambiente (EPA, na sigla em inglês) comprovaram que um tipo de grama transgênica (por enquanto só liberada para pesquisas) pode polinizar (cruzar através do pólen) com gramas não-transgênicas até a uma distância de 21 quilômetros. A descoberta reforça preocupações de que o pólen transgênico possa contaminar outras gramas silvestres. Por Frei Sérgio Antônio Görgen, novembro de 2004..[+]

Crise na monocultura da soja

É  péssima no mercado internacional a fama da soja gaúcha. Produzida com sementes trangênicas contrabandeadas e sem controle de qualidade, misturadas com sementes tratadas com agrotóxicos, que já resultou na devolução de vários navios e fez o prêmio-porto embutido nos contratos de venda antecipada de soja dar prejuízos aos vendedores pela primeira vez na história da mercado da soja. Tudo por causa da irresponsabilidade das lideranças do agronegócio gaúcho capitaneados pela Farsul e pelos veículos de Comunicação do Grupo RBS. Por Frei Sérgio Antônio Görgen, outubro de 2004..[+]

China barra importação de soja transgênica do Brasil

PEQUIM. A China, maior país comprador de soja do mundo, não está liberando documentos para importadores locais comprarem soja geneticamente modificada (GM) do Brasil, o segundo maior exportador do mundo, afirmou um representante do Ministério da Agricultura chinês nesta segunda-feira. "A documentação do governo brasileiro (sobre soja transgênica) venceu no dia 31 de dezembro de 2004 e o Brasil não nos enviou novos documentos", disse um funcionário do departamento de alimentos geneticamente modificados do ministério.

Ele disse que o ministério não estava aceitando mais pedidos de compradores chineses para importações de soja brasileira transgênica. De acordo com as leis chinesas, o ministério precisa de um documento do governo brasileiro que certifique que a soja GM produzida no Brasil é segura para consumo humano e que não oferece riscos ao meio ambiente. Da Reuters, 10/1/2005..[+]

Governo favorece transgênicos

A ausência de uma política nacional de biossegurança leva o governo a agir de "forma conjuntural", na opinião do gerente de recursos genéticos da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, Rubens Nodari. De acordo com ele, o governo não tem diretrizes nem princípios orientadores das ações de governo, dificultando "que se consiga avançar de forma soberana". Do Brasil de Fato, 6/1/2005..[+]

A batalha dos transgênicos

O governo mais uma vez se utilizou do expediente da medida provisória para impor a soja transgênica à população brasileira. No apagar das luzes de 2004, em 21 de dezembro, o Senado aprovou a MP 223 autorizando o plantio das sementes para a safra 2004/2005. A decisão agradou os deputados da bancada ruralista, já que mantém as alterações introduzidas no texto original por eles. O único voto contrário à MP foi da senadora Heloísa Helena (PSOL-AL). Do Brasil de Fato, 6/1/2005..[+]
 

..Arquivo 2003
------------------------------------------

Jogo sujo e difamação de VEJA

“Imprensa marrom” é, segundo o maior enciclopédia livre do mundo, a forma como podem ser chamados meios de comunicação considerados sensacionalistas e que busquem alta audiência e vendagem através da divulgação exagerada de crimes e diversos acontecimentos ‘apelativos’. É o equivalente brasileiro do termo ‘yellow journalism’. No Brasil, é perfeitamente traduzível na Revista VEJA, da Editora Abril, que na edição de 16/11/2003, pág. 94, jogou sujo com uma chefe do Estado brasileiro ao desrespeitá-la – não só como figura pública, mas com uma ofensa pessoal e ideológica. Escreveu: “A soja ideológica - Deputado petista pró-transgênicos leva a melhor sobre a ministra natureba”. Fica registrado o mau gosto e a ausência de caráter dos autores da manchete, que certamente não teriam coragem de dizer pessoalmente tal adjetivo e devem ser processados pelo livre ato de difamar uma figura pública de respeito, como é a ministra Marina Silva..(Da redação, nov/2003)
 


Consciência.Net
Fique por dentro
Opiniões
Apostila informativa
Campanha Greenpeace
Campanha do Idec
Lista de produtos
Mais informações
Riscos para a saúde
.

.
Visite
Arquivo 2000-2004
Ecologia
Agricultura
Agrotóxicos
Ciência & Tecnologia
Questão agrária
Monsanto

Você sabia?

.O atual presidente do México, Vicent Fox, é ex-presidente da COCA-COLA em seu país.
.Apenas 4 empresas (Monsanto, Syngenta, Dow e Dupont) dominam a produção de transgênicos do mundo. [Fonte: PACS]
.Dia 8 de abril é o Dia Internacional na Luta contra os Transgênicos.

Dicas

Governo do Paraná esclarece dúvidas sobre transgênicos

Tribunal Internacional Popular sobre Transgênicos

Luci Choinacki
Página da combativa deputado federal Luci Choinacki (PT-SC).

Frei Sérgio
Página do combativo deputado estadual Frei Sérgio (PT-RS).

Fome de informação
Dúvidas sobre alimentos transgênicos, orgânicos, infantis, diets e lights agora poderão ser esclarecidadas por consultores através da internet.

Boletim de Mercado sobre Transgênicos
O Boletim de Mercado sobre Transgênicos é uma publicação da Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace Brasil.

Notícias do Idec

Cartaz “Não compre produtos transgênicos”

AS-PTA
Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa

Futuro da comida
25 abril 2003. A gigante agro-química Monsanto recebeu a pior nota de responsabilidade ecológica da Innovest Strategic Value Advisors, uma empresa de investimento, consultoria e pesquisa ambiental, aqui

“Revolução Verde”
Os fracassos da Revolução Verde são muito conhecidos: degradação ambiental, contaminação de alimentos, concentração de mercado e pobreza. E mais: a fome aumentou e já atinge 800 milhões de pessoas em todo o mundo. Atualmente se produz comida suficiente para alimentar os pouco mais de 6 bilhões de habitantes no mundo.