Combate à FOME e à DESNUTRIÇÃO
.
desertificação
70% das cidades de menor IDH são áridas

Entre as mil cidades com menor IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, uma adaptação do IDH aos indicadores regionais brasileiros do Brasil), 715 são afetadas pelos efeitos da desertificação. Dos 1.482 municípios localizados em regiões classificadas como semi-áridas, subúmidas secas e arredores, 915 apresentam condições de vida piores que as da Namíbia (0,627) e apenas 51 estão em situação melhor que o Vietnã (0,704). Em só cinco deles o indicador fica igual ou acima do índice do Brasil (0,766). A matéria é de Alan Infante, da PrimaPagina, 28/4/2006.

soberania
Fórum paralelo articulou agricultores, pescadores e indígenas

Encerrou-se na tarde de quinta (9/3) o Fórum Terra, Território e Dignidade, evento organizado pelo Comitê Internacional de Planejamento de Organizações Sociais para a Soberania Alimentar (CIP) que ocorreu paralelamente à II Conferencia Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural (CIRADR) da FAO esta semana em Porto Alegre. O documento final do evento parte de uma premissa já aceita pela própria FAO e grande parte dos governos: até agora, os Estados e o sistema internacional foram incapazes de derrotar a pobreza e a fome no mundo. Por Verena Glass para Agência Carta Maior, 10/3/2006.

ameaça global
Desertificação ameaça 2 bilhões de pessoas

A crescente transformação das áreas secas do planeta em desertos fez a ONU designar 2006 como Ano Internacional da Desertificação. De toda a superfície do planeta, 41% é formada por áreas secas, como o semi-árido do Nordeste brasileiro. Ano a ano, a ação do homem sobre o meio ambiente tem causado grandes perdas não só para a biodiversidade, mas para as 2 bilhões de pessoas que vivem nessas regiões. Para tentar reverter esse processo e debater mais amplamente o problema, a ONU designou 2006 como Ano Internacional dos Desertos e da Desertificação. De Nova York, no Prima Página em 13/2/2006.

opinião
Bolsa-Família é embrião da renda universal

Há vários meses, com doses a cada vez renovadas de hipocrisia e cinismo, o governo Lula está sendo literalmente linchado por praticamente toda a grande imprensa nacional. Em um país como o Brasil, a "criminalização" de apenas "dois anos" do único governo não oriundo da atávica reprodução das elites tecnocrático-corporativas e oligárquico-escravagistas seria hilária se não fosse trágica. (...) Por Antonio Negri e Giuseppe Cocco, na Folha de S. Paulo de 5/1/2006.

área social
Brasil começa 2006 sem quebrar ciclo da pobreza

Especialistas alertam que país ainda enfrenta pobreza de forma focalizada, sem criar mecanismos que acabem com o que a perpetua: a desigualdade social. Para Márcio Pochmann, Lena Lavinas e Jorge Romano, falta combater o processo do empobrecimento. Matéria de Bia Barbosa na Agência Carta Maior, em 2/1/2006.

brasil
Natal: dia normal no Lixão de Babi

Cestas do Natal Sem Fome não fazem a festa de quem vive no lixo, entre porcos e urubus. Do jornal Q!, do Rio de Janeiro, dezembro de 2005. Reportagem de Jaime Gonçalves Filho, fotos de Moskow..[+]

campanha
Camelôs apóiam campanha Natal sem Fome

Cinco mil ambulantes participaram do II Censo Cadastral do Comércio Ambulante no Rio de Janeiro promovido pela Federação dos Ambulantes do Rio de Janeiro, no último sábado. O Movimento Unificado dos Camelôs (MUCA) participou do evento e aproveitou para informar que está apoiando a campanha natal com fome da Ação da Cidadania. No dia 15, quinta-feira, o Movimento estará no posto de coleta que vai funcionar na esquina das ruas Uruguaiana e Buenos Aires.  Informações: (21) 2544-3230 e 9943-4383. Na cidade do Rio de Janeiro hoje, segundo o MUCA, são 20 mil camelôs autorizados. Estima-se que sejam mais 20 mil sem autorização. Informações do boletim Rápido, da CUT/RJ, 14/12/2005.

américa latina
Mais desigualdade

O "Informe sobre a Situação Social no Mundo 2005: O dilema da desigualdade" destaca o acesso segmentado aos serviços públicos na América Latina, observando que, apesar dos altos níveis de gasto público social na região, os benefícios não estão chegando aos mais pobres. De fato, grandes segmentos da população de menores rendas continuam sendo excluídos de muitas áreas de bem-estar público. Matéria da Agência ADITAL, 29/8/2005.

áfrica
Fome ameaça 20 milhões de pessoas

BAMAKO. Enquanto a comunidade internacional começa a responder à severa crise alimentar no Níger, a Rede de Sistemas de Alerta Preventivo da Fome adverte que 20 milhões de pessoas correm risco de enfrentar fome extrema nos próximos meses em cerca de uma dúzia de países na África. O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU disse que precisa ainda de US$ 98 milhões para evitar a tragédia até a primeira metade de 2006. Estão na lista da fome Níger, Moçambique, Chade, Sudão, Etiópia, Eritréia, Somália, Mali, Zimbábue, Zâmbia, Malauí, Suazilândia e Lesoto. Do jornal O Globo, 11/8..[+]

brasil
Pactos anticrise mandam a conta para o setor social

Idéias como o déficit zero, proposto pelo deputado Delfin Netto e encampado por setores do governo Lula, exigiriam cortes na área social do orçamento da União. Atual crise tende a reforçar o conservadorismo da política economica, avalia Marcio Pochmann, professor de Economia da Unicamp. Da Agência Carta Maior, 4/8..[+]

descaso
Restos de vidas

Um apartheid social se esconde por trás do impasse sobre o destino das 8,5 mil toneladas de lixo despejadas diariamente no aterro sanitário de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias. O anúncio do fim das atividades é esperado com apreensão por pelo menos 5 mil pessoas que tiram sustento do aterro. Além da incerteza do futuro, elas sofrem com a miséria e o abandono do entorno do lixão. Do Jornal do Brasil, 31/7..[+]

integração
Brasil e Argentina discutem políticas sociais conjuntas

Representantes de ministérios que atuam na área social no Brasil e na Argentina começam a definir hoje (28/7), em Buenos Aires, a pauta da III Plenária do Instituto Social Brasil - Argentina (ISBA), que vai reunir ministros dos dois países nos dias 3 e 4 de agosto na capital argentina. Um dos principais assuntos em debate será a alimentação escolar. Do Portal do PT, 28/7..[+]

políticas públicas
Ministério unifica programas

O Ministério do Desenvolvimento Social começa nesta semana a liberar recursos para que os municípios façam a atualização do Cadastro Único - base de dados das famílias com renda per capita de até meio salário mínimo. Do Jornal do Brasil, 18/7..[+]

desigualdade
O bolo ainda mal dividido

BRASÍLIA. Com 53,9 milhões de pobres, o equivalente a 31,7% da população, o Brasil aparece em penúltimo lugar em termos de distribuição de renda numa lista de 130 países. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, divulga hoje em Brasília. Do jornal O Globo, 1/6..[+]

orçamento
Contenção de gastos prejudica o social

BRASÍLIA. A política de direitos humanos no Brasil - reprovada esta semana pela Anistia Internacional - é vítima da contenção de gastos do governo federal, da inadimplência de Estados com a União, que impede a transferência do dinheiro, e de outras burocracias. (...) Um balanço da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH) mostra que o orçamento dos direitos humanos no Brasil foi de R$ 116 milhões no ano passado. Deste total, o governo executou apenas R$ 66 milhões, pouco mais da metade. Com os cortes feitos pela área econômica, o dinheiro para a proteção aos direitos humanos no ano passado representou menos de 10% do que foi gasto com diárias e passagens, um total de R$ 789 milhões. Ficou também abaixo do gasto com ''consultoria'', que atingiu R$ 70 milhões. Do Jornal do Brasil, 27/5..[+]

mulher
Pobreza e densidade demográfica determinam taxas de fecundidade

As taxas de fecundidade estão relacionadas à pobreza e à densidade demográfica: quanto maior a pobreza e menor a concentração populacional, maior a fecundidade. É o que mostra o Perfil das Mães Brasileiras, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Da Agência Brasil, 7/5..[+]

orçamento
Tirando da pobreza

Nos últimos quatro anos, o governo federal deixou de gastar cerca de R$ 3,2 bilhões do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza, criado em julho de 2001 para garantir investimentos adicionais em ações de nutrição, habitação, saúde, educação e reforço da renda familiar. Este montante teve grande serventia para a política econômica: ajudou o governo a fazer o superávit primário. Os R$ 3,2 bilhões representam 20% dos R$ 15,2 bilhões efetivamente gastos com recursos do fundo neste período. Do jornal O Globo, 24/4..[+]

fome de comunicação
Bolsa-Família não chega a 28 cidades por desinformação

BRASÍLIA - O programa Bolsa Família não chegou ainda a 28 dos 5.686 municípios no país. Na maioria, por um motivo simples: falta de informação. Boa parte dos prefeitos e secretários desconhece o programa ou não sabia que sua cidade não recebia o benefício. E há prefeitos que não sabiam da necessidade de ter o cadastro de famílias pobres ou de atualizá-lo. De O Estado de S. Paulo, 16/2..[+]

fome de poder
Multinacionais controlam comércio de grãos

Relatório divulgado pela Action Aid mostra cinco empresas transnacionais detêm 90% do comércio mundial de grãos. A organização é uma das 100 entidades da Chamada Global para Ação contra a Fome. "Do chá matinal, passando pelas barras de chocolates e até o litro de leite, umas poucas empresas transnacionais acumulam os benefícios do comércio mundial de alimentos", diz o relatório. Da Agência Brasil, 9/2/2005..[+]

Parmalat e Nestlé
Action Aid cita problema de produtores de leite e recomenda fim de abusos corporativos

O problema dos produtores de leite no Brasil, que foram forçados por empresas transnacionais a abandonar seus negócios, é um dos seis motivos apresentados pelo relatório da organização não-governamental Action Aid para parar com os abusos corporativos. Segundo o relatório, após terem comprado um grande número de cooperativas brasileiras na década de 90, a Nestlé e a Parmalat expulsaram do mercado cerca de 50 mil criadores de gado leiteiro, que não conseguiram se enquadrar às regras e aos altos padrões praticados por essas empresas. Da Agência Brasil, 9/2/2005..[+]

Brasil pode reduzir pobreza sozinho

NOVA YORK. O Brasil não precisa de ajuda externa para combater a pobreza. O país pertence a um grupo de nações em desenvolvimento e de renda média capaz de financiar com recursos próprios programas para cumprir as chamadas Metas do Milênio, estabelecidas pelos Estados-membros da ONU, em 2000, a fim de reduzir a extrema pobreza no mundo pela metade, até 2015. A conclusão é do estudo ''Investimento no desenvolvimento: um plano prático para alcançar os objetivos do Milênio'', elaborado por especialistas a pedido da ONU e divulgado ontem. Do Jornal do Brasil, 18/1..[+]

Fome afeta 90% das vilas quilombolas

Descendentes de escravos refugiados, assim como seus ancestrais, fazem parte da camada mais baixa da escala social, aponta pesquisa. Do PNUD Brasil, 6/1..[+]

Criador do Fome Zero adverte: o que falta no Brasil é renda, e não comida

BRASÍLIA. Um dos criadores do programa Fome Zero, o economista Walter Belik afirma que a pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelando que a obesidade atinge 38,8 milhões de brasileiros com 20 anos ou mais de idade não pode ser entendida como a superação do problema da desnutrição e da insegurança alimentar no país. O número faz parte da 2ª etapa da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2002-2003, que traz capítulos sobre a composição da dieta alimentar e do estado nutricional dos brasileiros. Da Agência Brasil, 4/1..[+]

Movimentação do programa Bolsa Família pode ser acompanhada pela internet

A relação com as famílias beneficiárias do programa Bolsa Família e a situação de cada uma delas já estão disponíveis para a população na internet. A secretária executiva do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Márcia Lopes, afirmou que o banco de dados foi aprimorado para que as prefeituras também possam usá-lo, e assim acompanhar as famílias que estão inseridas na relação.—.Agência Brasil, 28/12

Verbas federais são desviadas em Guaribas

Faltou merenda escolar, o cadastro dos beneficiários do Bolsa-Família não existe, as crianças do Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) não receberam os repasses e as verbas para a construção de módulos sanitários e sistema de água foram desviadas. Ironicamente, esses exemplos de má gestão de recursos federais ocorrem em Guaribas (PI), cidade-piloto do programa Fome Zero e município com o terceiro pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país..—.Folha de S. Paulo, 27/12

Lula contesta IBGE: ‘As pessoas têm vergonha de dizer que passam fome’

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva contestou ontem dados de pesquisa realizada pelo IBGE segundo a qual, entre os brasileiros adultos, a obesidade é um problema mais grave do que a desnutrição. Lula disse que as pessoas “têm vergonha de dizer que passam fome”, ao discursar logo após a celebração de Natal ministrada por Frei Betto, que se despediu formalmente do cargo de assessor especial da Presidência..—.The Globe, 21/12

Mais de 27 milhões de crianças vivem na pobreza no Brasil, diz Unicef

Mais de 27 milhões de crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, e fazem parte de famílias que têm renda mensal de até meio salário mínimo. É o que revela o relatório O Estado da Criança no Mundo, divulgado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) nesta quinta-feira. Aproximadamente 33,5% de brasileiros vivem nessas condições econômicas no país, e destes, 45% são crianças que têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos cinco anos, diz o relatório..—.Folha Online, 9/12

OIT: 1,4 bilhões de pessoas ganham até US$ 2

O Relatório Mundial de Emprego 2004/05, divulgado pela OIT, mostra que metade do contingente mundial de trabalhadores está abaixo da linha de pobreza por receber menos de US$ 2 por dia.—.Agência Brasil, 8/12

Leilão virtual do Fome Zero investirá toda a renda em cisternas de placa

Desde 25 de novembro até 7 de dezembro está acontecendo o segundo leilão virtual do Fome Zero, onde produtos doados ao programa estão sendo leiloados e como ano passado,o dinheiro arrecadado será investido na construção de cisternas de placa para região do Semi-árido.—.Adital, 30/11

Sociedade civil se mobiliza para o controle social de programas federais

No Estado do Piauí, foi criada a Força Tarefa Popular para auxiliar no controle social de programas, como o Bolsa Família.—.Adital, 26/11

Seminário no FSM 2005 vai discutir as estratégias de combate à fome

"Educação cidadã e mobilização social para a erradicação da fome e da pobreza no mundo", é o título do seminário que a Rede de Educação Cidadã promove dia 28 e 29 de janeiro, dentro das programações do Fórum Social Mundial 2005, com as presenças já confirmadas de Jacques Diouf, Diretor Geral da FAO, Pierre Sané, diretor-geral adjunto para as ciências humanas e sociais da Unesco e Frei Betto, asessor Especial da Presidência da República para o Fome Zero.—.Adital, 24/11

Artistas lançam selo musical de combate à fome no Rio

O programa de combate à fome do Sesc-Rio ganha a adesão músicos da MPB. Artistas como Ney Matogrosso, Tony Garrido, Paulo Moura e Carlos Malta sobem ao palco do Canecão, em Botafogo, zona sul da cidade, no show de lançamento do selo musical da entidade. O selo não tem fins lucrativos e todo o dinheiro arrecadado com a venda dos CD’s vai para o Banco Rio de Alimentos, criado há quatro anos, pelo Sesc-Rio..—.Agência Brasil, 23/11

Salvação

O Ministério do Desenvolvimento Social está bolando uma porta de saída para os brasileiros que dependem do Bolsa-Família. Trata-se de um programa de microcrédito para as pessoas iniciarem numa atividade que gere renda. Serão usados R$ 350 milhões de um extinto Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Social, parado há 13 anos..—.Informe do Dia, 22/11

Carvoeiro ''preferia'' ser escravo a passar fome 

"Na falta de coisa melhor, virei escravo. É melhor trabalhar assim que passar fome na rua". A declaração é do jovem Ivanildo Gonçalves de Jesus, de 23 anos, que foi encontrado em uma fazenda na Bahia quando trabalhava em regime de escravidão. Ivanildo, como a maioria dos trabalhadores libertados, acredita que a falta de emprego e de qualificação profissional fazem com que exista esse tipo de trabalho..—.Agência Brasil, 16/11

Patrus diz que modelo neoliberal aumenta miséria

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, disse que existe no Brasil e no mundo uma dívida social muito alta. "Nós deixamos, geração após geração, que a pobreza, a miséria e a exclusão social chegassem a esses níveis que estamos vendo. E considero que essa tragédia social aumentou nos últimos 30 anos com a hegemonia do chamado modelo neoliberal, com uma prevalência forte do capital sobre as exigências superiores do direito à vida, da dignidade humana, e a prevalência do capital sobre o trabalho e os direitos sociais", afirmou..—.Agência Brasil, 11/11

Presidente da Câmara de Nazaré (PI) recebe Bolsa Família

A presidente da Câmara de Nazaré do Piauí (270 km de Teresina), Irene Arcanja de Moura Dias (PSDB), recebe R$ 80 mensais de benefício do Bolsa Família, segundo o comprovante de pagamento feito pela Caixa Econômica Federal (CEF) entregue ontem ao Jornal Meio Norte pelo vereador eleito Norman Hélio (PTB). Ele afirmou que o salário mensal dos vereadores de Nazaré do Piauí é de R$ 750, mas por ser presidente da Câmara, Irene Arcanja ganha em torno de R$ 1 mil. Pelos critérios do Governo Federal, o benefício do Bolsa Família deve ser concedido a famílias de baixa renda..—.Meio Norte (PI), 11/11

Fraudes no Bolsa-Família até na terra do ministro

O Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome anunciou ontem a suspensão do pagamento do Bolsa-Família a dez famílias cadastradas no município de Bocaiúva, terra natal do ministro Patrus Ananias, no norte de Minas. A medida foi tomada para averiguar denúncias de irregularidades no cadastro da cidade feitas pelo vereador Diomézio Geraldo Pimenta (PPS). Com base em uma listagem dos beneficiados fornecida pela Caixa Econômica Federal (CEF), a pedido da Câmara Municipal, os vereadores detectaram que várias pessoas cadastradas em Bocaiúva residem em outras cidades..—.O Estado de S.Paulo, 11/11

Bolsa-Família: Ministério apura denúncia em Minas

O Ministério do Desenvolvimento Social e de Combate à Fome começou ontem a investigar as denúncias de irregularidades no Programa Bolsa Família em Bocaiúva, terra natal do ministro Patrus Ananias. O ministério bloqueou os cartões de 10 famílias cadastradas na cidade e que não residem no município. Os pagamentos vão continuar suspensos até que seja averiguada a situação de cada uma delas..—.Estado de Minas (MG), 11/11

Conselhos devem aprimorar controle social de programas federais

Em prosseguimento a programação de encontros regionais programadas pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), os conselhos estaduais e municipais do Nordeste encerram reunião no Ceará enfatizando a necessidade de aprimorar o controle social dos programas do governo e criar leis orgânicas que assegurem políticas de segurança alimentar nos três níveis administrativos.—.Adital, 10/11

Cresce número de iniciativas para evitar desperdício de alimentos

Cresce o mutirão dos paraenses contra o desperdício de alimentos e a favor dos projetos que tentam reduzir a fome de milhares de pessoas pobres. As marcas desse movimento estão na Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), na Associação de Distribuidores e Atacados do Pará (Adapa) e em dezenas de empresas. Pessoas e empresas que fazem programas como Feira Solidária, da Ceasa, e Mesa Brasil, do Sesc (Serviço Social do Comércio), beneficiam 93 instituições filantrópicas da Grande Belém. Mesmo assim, mais de seis toneladas de hortigranjeiros ainda vão para o lixo em Belém..—.Instituto Akatu, 8/11

MPs assinam convênio para fiscalização do bolsa-família

Os Ministérios Públicos estaduais e federais do país, e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, assinaram convênio de parceira para a fiscalização do programa bolsa-família. Conforme o convênio, os MPs atuarão com base em informações e dados disponibilizados pelo Ministério de Desenvolvimento Social..—.Consultor Jurídico, 8/11

Bolsa Família beneficia mais o Nordeste

De cada dez famílias beneficiadas pelo programa, seis estão no Nordeste, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Em seguida vêm Sudeste, Sul, Norte e Centro-Oeste.—.Agência Brasil, 4/11

Conselhos do Fome Zero no Nordeste fortalecerão articulação

Os Conselhos Estaduais de Segurança Alimentar do Nordeste querem fortalecer a representação da região na implementação de políticas nacionais de Segurança Alimentar e Nutricional. E o pontapé inicial para isso será dado durante o I Encontro dos Conseas do Nordeste, entre os próximos dias 9 e 10 de novembro, no Ceará.—.Adital, 4/11

Patrus: Bolsa Família terá controle implacável

O ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, disse que será ''implacável no combate à corrupção e aos desvios do dinheiro público'', sobretudo, se os recursos forem destinados aos pobres.—.Agência Brasil, 4/11

Mobilização social do Fome Zero adere à campanha do artigo 6

A campanha O Brasil Tem Fome de Direitos fechou uma parceria que vai contribuir para a tomada de consciência de milhares de brasileiros. Um dos departamentos do Programa Fome Zero, do governo federal, aderiu à campanha e já se pôs a divulgar os direitos sociais estabelecidos no artigo 6º da Constituição Federal. Para isso, uma rede de movimentos e organizações ligadas à área de mobilização social do Fome Zero receberá material da campanha e uma orientação para discutir direitos. O objetivo é claro: ir além da ação emergencial com mobilização e educação cidadã..—.FASE, 21/10

Programa Bolsa-Família suspende cadastros irregulares denunciados na TV

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome já pediu à Caixa a suspensão do cadastro de sete beneficiários irregulares do Programa Bolsa-Família. Além disso, três equipes do ministério e da Controladoria Geral da União estão a caminho de Pedreiras (MA), Cáceres (MT) e Piraquara (PR), cidades onde foram constatadas as irregularidades..—.Agência Brasil, 18/10

Miséria cresceu no 1º ano de Lula

Amiséria aumentou no primeiro ano do governo Lula. Cálculo inédito do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (CPS-FGV) mostra que a parcela da população que não ganha o suficiente para comer passou de 26,23% em 2002 para 27,26% no ano passado. Significa dizer que 47,4 milhões de brasileiros não têm dinheiro para comprar a cesta de alimentos que lhes garanta o consumo diário de 2.888 calorias, nível recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS)..—.O Globo, 14/10

Bolsa-Família: O olhar da TV Globo

“Por que não mostrar o quanto de dignidade muitas famílias recuperam com o pouco de renda que lhes garante o Bolsa-Família? Será que ouvir também famílias beneficiadas pelo programa não seria a melhor forma de avaliá-lo?”, questiona o sociólogo Cândido Grzybowski, em artigo sobre a forma como a TV Globo abordou o programa Bolsa-Família no Jornal Nacional, em 18 de outubro..[+]

Articulação civil Sul-Sul cobra de governos garantia de direitos

Reunidos em São Paulo para o IV Colóquio Internacional de Direitos Humanos, ativistas de 23 países do hemisfério Sul traçam estratégias para que os Estados cumpram o que assumiram com o ONU ao ratificarem os Objetivos do Milênio. Meta nº 1 é a erradicação da miséria no mundo..—.Agência Carta Maior, 14/10

Redução da biodiversidade agrava fome mundial

O Dia Mundial da Alimentação deste ano, que será celebrado neste domingo, dia 16, deverá chamar a atenção mundial para a relação entre biodiversidade e segurança alimentar. Somente no último século, cerca de três quartos da diversidade genética dos cultivos agrícolas deixaram de existir, resultando em pobreza na dieta e fome.—.Adital, 14/10

Fome Zero está superestimado, avaliam técnicos do Legislativo

Os gastos de R$ 14,54 bilhões com o Fome Zero, principal programa social do governo, foram superestimados no projeto de lei orçamentária de 2005, conforme avaliação da Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle (Conorf) do Senado Federal. Um dispositivo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o próximo exercício permitiu ao Legislativo conhecer o que o Executivo está classificando como Fome Zero..—.Agência Senado, 28/9

Projeto Idéia Fixa tem mudado a vida de muita gente no sertão nordestino

Projeto Idéia Fixa por um Sertão 100 Fome leva, não só comida e remédios, mas uma boa dose de cidadania e auto-estima, para comunidades de baixa renda..—.Adital, 28/9

Parceria entre Fome Zero e Nestlé é duramente criticada

Durante a Semana do Aleitamento Materno no Brasil, ONGs que desenvolvem trabalhos na área levantaram a discussão sobre a parceria entre o Fome Zero e a empresa Nestlé.—.Adital, 27/9

Rejeitos agrícolas vão parar em países pobres.—.Adital, 23/9

Suplicy e presidente da OIT são eleitos presidentes da Rede na Terra da Renda Básica

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e o diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Standing, foram eleitos nesta segunda (20), em Barcelona, presidentes da Rede na Terra da Renda Básica. A eleção ocorreu durante o X Congresso Internacional da Renda Básica. No evento, economistas, sociólogos e outros profissionais discutiram a implantação de um programa de renda e de combate à desigualdade social. O evento aconteceu durante o Fórum Internacional de Culturas de Barcelona..—.Agência Brasil, 23/9

Attac propõe taxa Tobin para o Fundo Internacional contra a Fome

Durante a visita do presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva a Nova Iorque, para propor a criação de um Fundo Internacional contra Fome, a Associação pela Taxação das Transações Financeiras e a Ação Cidadã (ATTAC), destacou a importância desse Fundo e propôs que seja cobrada a Taxa Tobin.—.Adital, 22/9

EUA atacam proposta de imposto contra a fome

Lula reúne representantes de 107 países, mas propostas para combate à miséria são criticadas por secretária americana; Chirac lembra que idéia tem apoio de mais de cem países.—.O Globo, 21/9/2004

Lula defende renda mínima para toda a população do planeta 

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu a concessão de uma renda mínima a todos os cidadãos do mundo, em uma mensagem enviada ao Fórum Universal das Culturas de Barcelona. A mensagem foi lida no ato de encerramento do diálogo "Direitos humanos: necessidades emergentes e novos compromissos" pelo senador brasileiro Eduardo Suplicy, do Partido dos Trabalhadores (PT), ao qual Lula também pertence..—.Agência EFE, 21/9

‘Fraude é da natureza humana’

Fraude, corrupção e violência fazem parte da natureza humana, disse o ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, referindo-se às denúncias de uso político do Bolsa Família que vêm comprometendo o principal programa social do governo do PT. Em Nova York, onde está acompanhando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Patrus disse que falhas como o uso eleitoral do programa são o risco que o governo corre por lançar um projeto social tão amplo..—.O Globo, 21/9

Chile propõe imposto sobre transações para combater a fome

Chile propõe a aplicação de um imposto para as transações financeiras mundiais para que se possa pôr fim ao problema que causa a morte de 24 mil pessoas a cada 24 horas no planeta.—.Adital, 20/9

Em Guaribas e Acauã, programas sociais servem de moeda eleitoral

Cidades-símbolo do Fome Zero, lançado há 19 meses pelo governo federal, Guaribas e Acauã, no sul do Piauí, poderão eleger prefeitos do PT ou de partidos aliados com ajuda da participação de integrantes dos comitês gestores do programa transformados em candidatos a vereador ou cabos eleitorais..—.O Globo, 19/9

Agricultor familiar vende produção ao governo

Governo investiu R$ 10 milhões na compra de feijão. A ação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) faz parte do Fome Zero. O produto será destinado a comunidades em risco alimentar.—.Agência Brasil, 14/9

Brasil e Chile: uma parceria Social resgatando a cidadania

Além dos pontos em comum entre o Programa Fome Zero e Chile Solidário, Brasil e Chile ainda dispõem de várias iniciativas da sociedade civil que contribuem de forma incontestável para resgatar a cidadania de milhares de pessoas que vivem em situação de pobreza.—.Adital, 13/9

Essencial é garantir direito a alimento, afirma Patrus

O ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome, Patrus Ananias, afirmou que a lista de presença de alunos matriculados em escolas não é o “critério essencial” para o pagamento do Bolsa-Família.—.Agência Brasil, 7/9

Brasil ocupa o 5º lugar na produção de orgânicos no mundo

Com a 5º posição na produção mundial de alimentos orgânicos, o Brasil tem  dado provas de que a agricultura familiar é relevante sim, na produção agrícola, pois 70% da cultura orgânica vem deste tipo de agricultura.—.Adital, 6/9

Cozinhas móveis levam orientação nutricional à comunidades de baixa renda

As cozinhas experimentais móveis já estão em atividade em quatro estados brasileiros: Minas Gerais, Espírito Santo, Piauí e Pernambuco. O objetivo dessa iniciativa, parte do programa Fome Zero, é levar orientação às comunidades de baixa renda e de difícil acesso, sobre alimentação saudável a baixo custo..—.Adital, 18/8

Economia Solidária é tema de dois eventos

A economia solidária é um dos pontos defendidos e propagados pelo Programa Fome Zero, que vê esse tipo de economia como transformadora da realidade social. Esta semana dois eventos pautam-se com o mesmo tema com abordagens distintas: O I Encontro Nacional de Empreendimentos de Economia Solidária e o I Curso de sementes crioulas (variedades que ainda não foram modificadas pela biotecnologia ou por outros processos de melhoramento)..—.Adital, 11/8

Brasil pode erradicar fome em cinco ou seis anos, afirma Patrus

Para isso, disse o ministro do Desenvolvimento Social, é preciso uma ação integrada entre os governos federal, estaduais e municipais e a sociedade organizada.—.Agência Brasil, 6/7

Programa Merenda Escolar Enriquecida combate a desnutrição infantil em Japonvar (MG)

O programa de enriquecimento da merenda escolar é uma das ações integradas de segurança alimentar implementadas na cidade mineira de Japonvar que está reduzindo os índices de desnutrição infantil e de pobreza. Em parceria com a Pastoral da Criança e a ONG Visão Mundial, as equipes das escolas são capacitadas para aproveitar integralmente os alimentos e utilizar a multimistura no enriquecimento da merenda..—.FomeZero.org, 5/7

Mesa Brasil combate desperdícios em Natal

Uma rede nacional contra a fome e o desperdício de alimentos. Este é o objetivo do programa Mesa Brasil desenvolvido há dez anos pelo Sesc e que no ano passado chegou a todos os estados brasileiros. No Rio Grande do Norte desde setembro do ano passado, o programa dispõe de oito profissionais e já realizou 3.102 atendimentos..—.FomeZero.org, 5/7

Tratado Internacional sobre Recursos Fitogenéticos para Agricultura e Alimentação entra em vigor

Assinado, mas ainda não ratificado pelo Brasil, o instrumento da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, em inglês) estabelece sistema multilateral de acesso e repartição de benefícios derivados do uso de recursos fitogenéticos.—.Instituto Socioambiental, 29/6

Cartilha ajudará a fiscalizar merenda escolar e corrupção eleitoral

Um dos grandes problemas enfrentados pelas escolas e creches públicas é o roubo dos recursos destinados à merenda escolar. Tendo em vista essa questão difícil de ser controlada, criaram-se grupos para zelar pela boa aplicação dos recursos, como o Conselho de Alimentação Escolar (CAE), que agora dispõem de uma nova ferramenta: a cartilha "Vamos Fiscalizar a Merenda Escolar"..—.Adital, 23/06/2004

Hábito subdesenvolvido

Conferência na 11ª Unctad mostra os índices de mortes decorrentes do consumo de tabaco em todo o mundo e alerta para a forte relação entre o hábito de fumar e o baixo nível de renda nos países em desenvolvimento.—.Agência Fapesp, 18/6/2004

Pobres são os que mais sofrem com o fumo, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde afirma que os mais pobres estão sofrendo a maior parte dos danos causados pelo fumo no mundo. Segundo relatório divulgado para marcar o Dia Mundial sem Tabaco, nesta segunda-feira, nos países em desenvolvimento se concentram 84% do fumantes do planeta. Dentro destes países, de acordo com a entidade, as pessoas que têm mais chances de viver na pobreza também estão mais propensas a adotar o hábito de fumar, gastando dinheiro que poderia ser usado para a compra de alimentos ou em educação. Da BBC Brasil, 31/5/2004..[+]

Mulheres são as mais pobres entre os pobres do mundo

Na manhã de hoje, o seminário "Feminização da Pobreza, Emprego e Renda" concluiu que as mulheres são as mais pobres entre os pobres no mundo e que os países precisam incorporar o tema nas suas políticas públicas para pôr fim a esse fenômeno. A subsecretária de Políticas para a Mulher, Ângela Fontes, ressaltou a necessidade de uma ação coordenada entre os ministérios para gerar emprego e renda para as brasileiras. Os resultados do seminário deverão ser publicados para orientar a adoção de políticas na área econômica e do trabalho que promovam mais eqüidade e igualdade no desenvolvimento do País. Da Agência Câmara, 18/5..[+]

Fome Zero será reformulado mais uma vez

Se no início de 2003 o governo mal conseguia gastar todo o dinheiro arrecadado pelo Fome Zero, hoje apenas 20% das pessoas que ligam para a central telefônica do programa querem fazer doações. Dois anos e meio após ter sido lançado pelo então candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Fome Zero, eleito como prioridade no início do governo, passará por nova e profunda reformulação.

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar também terá nova composição, mais técnica. A principal mudança diz respeito aos comitês gestores implantados em 2.200 municípios, principal realização do extinto Ministério Extraordinário de Segurança Alimentar (Mesa), que serão esvaziados e perderão poder para as prefeituras em ano eleitoral..—.O Globo, 09/05/2004

CNBB: ''Fome Zero é assistencialista''

O bispo responsável pelas pastorais sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Aldo Pagotto, criticou ontem programas sociais do governo. O bispo chamou o Fome Zero de ''assistencialista'': "Acostuma mal as pessoas", disse dom Aldo, que é presidente da Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz.

Dom Aldo censurou também projetos como o Bolsa Escola e o Bolsa Família. "Estamos cansados de ver bolsa-isso, bolsa-aquilo", afirmou o bispo, para quem os programas de transferência de renda são políticas compensatórias que, ''em curto espaço de tempo se demonstram inadequadas''.

Ele argumenta que o combate à pobreza seria muito mais eficaz se fossem intensificados os programas de qualificação da mão-de-obra e de microcrédito. Segundo dom Aldo, em Sobral (CE), sede da sua diocese, muitos agricultores não se preocupam muito com a possibilidade de perder a colheita por razões climáticas devido à garantia proporcionada pela distribuição de cestas básicas, uma das ações do Fome Zero. ''Se plantar e não der, tudo bem, nos dão comida'', dizem esses agricultores", relatou o bispo.

Sobraram críticas também ao Movimento dos Agricultores Rurais Sem Terra (MST). Apesar do ''nobilíssimo ideal'' do movimento, dom Aldo não concorda com seus métodos. O bispo fez questão de dizer que é respaldado pelo papa João Paulo 2º. Em 2002, o pontífice disse a bispos brasileiros, em Roma, que ''a ocupação de terra não pode se tornar um método na reforma agrária''.

Ontem, dom Aldo disse não querer ''nem a indústria da invasão e muito menos pessoas que ideologizem a reforma agrária''. Para dom Aldo, as mudanças devem vir acompanhadas de uma política de capacitação do pequeno agricultor. "Não adianta dividir poeticamente terras sem dar o mínimo de condições". As declarações foram feitas na 42ª Assembléia Geral da CNBB, que termina amanhã em Indaiatuba (SP)..—.Jornal do Brasil, 29/04/2004

Subsídios ameaçam luta contra pobreza

Os subsídios agrícolas, que atrapalham a luta mundial contra a pobreza, e a proliferação de tratados de livre comércio bilaterais são motivo de preocupação em meio à luta para fechar a atual rodada de negociações comerciais internacionais no prazo previsto, até o fim deste ano. As afirmações foram feitas ontem por Supachai Panitchpadki, diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, que participa de encontro do Grupo de Cairns, bloco dos principais países exportadores agrícolas, entre eles o Brasil. Do Jornal do Brasil,24/2/2004..[+]

Globalização produz desemprego e tem de mudar, diz OIT

Um novo estudo encomendado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) afirma que o atual modelo da globalização deve ser reformado urgentemente para atender melhor as necessidades das populações mais pobres. O relatório, intitulado “Uma Globalização Justa: Criando Oportunidade para Todos”, diz que a globalização “pode e deve” mudar. O documento é resultado de 26 diálogos realizados em mais de 20 países nos últimos dois anos pela chamada Comissão Mundial sobre a Dimensão Social da Globalização. Da BBC Brasil, 24/2/2004..[+]
 

Fome Zero beneficiou um milhão de famílias em 2003
Agência Brasil, 3 de fevereiro, 2004

Um milhão e setenta famílias foram beneficiadas pelo Programa Fome Zero neste ano. Antes do programa, essas famílias tinham dificuldade de comprar a comida diária. O Programa Fome Zero começou em fevereiro deste ano na cidade de Guaribas, no Piauí. Do Nordeste, seguiu para o Norte e demais Estados onde há pessoas com baixa renda. Índios, comunidades quilombolas e sem-terra também foram atendidos.

De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Segurança Alimentar e Combate à Fome, Flávio Botelho, cerca de R$ 3 bilhões foram distribuídos este ano para as famílias. A meta para o ano que vem é liberar mais de R$ 5 bilhões. "No ano que vem, eu quero distribuir R$ 5,3 bilhões para 3,6 milhões de famílias. Vamos ter um número ainda não fixado de famílias a mais e queremos construir bancos de alimentos, restaurantes populares, hortas e implantar mais vinte programas que estão debaixo do "guarda-chuva" Fome zero", disse o secretário.

De acordo com Botelho, o Programa Fome Zero integra ainda um conjunto de ações que busca construir cisternas e casas, estimular a produção agrícola e gerar empregos.

Doações para o Fome Zero ajudam a pagar superávit

Marta Salomon, Folha de S. Paulo, 25 de dezembro, 2003.Passaram de R$ 7 milhões as doações feitas ao governo por empresas e pessoas físicas, até no exterior, atraídas pelo "mutirão contra a fome" lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O caminho do dinheiro, percorrido pela Folha, revela, porém, que os doadores ajudaram o governo, ainda que indiretamente, a pagar a dívida pública..[+]

Lula, sucessor de D. Ruth

Guilherme Fiuza, NoMínimo, 10 de dezembro, 2003. Os gerentes da Ação da Cidadania, ONG responsável pela já tradicional campanha do Natal Sem Fome, informaram que as doações de alimentos atingiram apenas 15% da média dos outros anos. Em suas tentativas de entender o problema, não observaram – ou não quiseram observar – o óbvio: há um arrecadador oficial de solidariedade na praça, contra o qual é impossível concorrer..[+]

Fome Zero vira concorrente de ONG de Betinho

Folha de S. Paulo, 4 de dezembro, 2003. A campanha Natal Sem Fome, organizada anualmente pela Ação da Cidadania -ONG criada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho- está sofrendo concorrência involuntária do programa Fome Zero, do governo federal. Segundo os organizadores, foram arrecadados até agora apenas 15% do total obtido no mesmo período do ano passado..[+]

Mutirão Nacional para a superação da miséria e da fome

Novembro de 2003. Arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings, afirma que, "No grande mutirão para a superação da miséria e da fome aparecem muitas iniciativas louváveis. Neste campo não se há de tornar qualquer concorrência. Tudo o que se fizer, no intuito de combater a fome, é bem-vindo." Leia aqui

Fome Zero do dia-a-dia espera por mudanças estruturais

Agência Carta Maior, 2 de novembro, 2003. Irauçuba, no Ceará, é exemplo dos acertos e deficiências do Fome Zero, programa do governo federal de combate à pobreza. Dinheiro começou a chegar, mas faltam ações como alfabetização para adultos e registro civil gratuito. Leia aqui

Comitê do Bolsa Família deve se tornar paritário

Agência Carta Maior, 2 de novembro, 2003. Participação do poder público passará a ser igual à da sociedade civil, com a incorporação de novos membros dos governos locais aos comitês, diz Ana Fonseca, secretária executiva do programa. Leia aqui
 

Lula e o Fome Zero

Cartão Alimentação
A partir do dia 25 de outubro, 1 milhão e 70 mil famílias vão começar a receber o cartão alimentação. É um crescimento de 41% em relação ao mês de setembro. Os municípios atendidos serão 1.227, 47% maior do que os municípios que estão recebendo agora em setembro. Eu estou falando de 25 de outubro. Em um mês, você vai ter 47% a mais no número de municípios e 41% a mais da população. Os municípios que estão aptos a receber o programa são 1.885. E nós temos 1.298 comitês gestores já organizados. Portanto, o programa está funcionando a toda prova. [Lula em 06.10.03]

Guaribas
Nós começamos Guaribas há sete meses. A taxa de mortalidade infantil caiu de 35,7 por mil, para 0. Ou seja, até agora não morreu nem uma criança nascida em Guaribas. O número de crianças nascidas com peso abaixo do normal caiu de 8 para 3 crianças. Uma queda de 35%. A proporção de desnutrição protéico-calórica em crianças menores de um ano caiu de 20,6 para 16. A proporção de crianças menores de dois anos que apresentavam diarréia caiu de 16% para 11%. A proporção de gestantes acompanhadas que iniciaram o pré-natal no primeiro trimestre passou de 16% para 40,8%. A cobertura vacinal, que antes era apenas de 9%, passou para 96%. Ou seja, se vocês forem a Guaribas vão perceber que houve uma revolução naquela cidade. [Lula em 06.10.03]

Lula rebate críticos e diz que Fome Zero inclui emprego e distribuição de renda

GloboNews, 27 de outubro, 2003. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, na abertura do Congresso da Internacional Socialista, que ao contrário do que alguns críticos querem fazer crer, o programa Fome Zero não é apenas um programa assistencialistaE mais: 'A fome não leva nenhum povo à revolução, mas à submissão'..[+]

Fome Zero nos Quilombos

Dois representantes de quilombos, áreas prioritárias para a execução do Programa Fome Zero, estão presentes no Primeiro Encontro Nacional de Talheres em Belo Horizonte que acontece no Centro do Sesc, bairro Venda Nova. A novidade para eles é que, historicamente, nenhum governo havia articulado, junto ao povo quilombola, ações ou projetos no sentido de resgatar a cidadania desse povo. Agora, o Governo Lula, através do Programa Fome Zero (PFZ) começou, finalmente, a atender esse anseio. Da Agência ADITAL, 24/10/2003..[+]

Pratos vazios no Natal Sem Fome

Joana Dale, especial para o JB, 20 de outubro, 2003. ''Nos anos anteriores, produzíamos mesas fartas e a classe média era quem comia'', explica Daniel de Souza, filho de Betinho..[+]

Graziano: Fome Zero vai atingir 95% da região Norte

Agência Câmara, 11 de setembro, 2003. O Programa Fome Zero já está sendo implantado nos estados da Região Amazônica. Foi o que garantiu, ontem, o ministro extraordinário de Segurança Alimentar, José Graziano, em audiência pública na Comissão da Amazônia e de Desenvolvimento Regional..[+]

Comida jogada fora

Maria Clarice Dias, Correio Braziliense, 31 de agosto, 2003. O país de 46 milhões de famintos perde cerca de 35% de todas as frutas e verduras que produz. Estudos da Embrapa mostram que o custo do alimento não aproveitado é alto..[+]

Programa Fome Zero no Rio

29 de agosto, 2003. Varre-Sai, São José de Ubá e Porciúncula são alguns dos 13 municípios do noroeste do estado do Rio que terão mais de 10 mil famílias beneficiadas, a partir de outubro, com o programa fome Zero. Na segunda-feira o governo federal começa a treinar agentes de segurança alimentar na Bacia do Itabapoana, que engloba 31 municípios do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e de Minas Gerais. As famílias selecionadas receberão R$ 50 mensais. (jb, pág. 1 e A6)

Fome Zero lança cartilha destinada às universidades

Agência Carta Maior, 2 de junho, 2003. A cartilha feita pelo governo traz conceitos e leis sobre como atuar no programa. A idéia é atingir um público de 3 milhões de pessoas. Cícero Rodrigues, representante das instituições federais, diz que seriam necessárias maior centralização e coordenação dos projetos das universidades pelo governo..[+]

Sesi adere ao Fome Zero com aulas contra desperdício

Informes, 30 de maio, 2003. O Conselho Nacional do Sesi aprovou semana passada, em Recife (PE), convênio de adesão ao Programa Fome Zero que prevê o uso da estrutura da entidade – são 2,3 mil unidades, presentes em todos os estados e no Distrito Federal – para oferecer aulas contra o desperdício de alimentos..[+]

Fome Zero chega a mais 86 municípios de Pernambuco

30 de maio, 2003. A partir da segunda-feira (02/06), 172 Agentes Locais de Segurança Alimentar no Estado de Pernambuco participam do Curso de Capacitação. O curso se realiza no Center Plaza Hotel, em Caruaru (PE), e vai até o dia 6 de junho. Depois do curso, os agentes se tornam multiplicadores e retornam aos seus municípios para formar, capacitar e supervisionar os comitês gestores. A partir daí inicia-se a seleção e cadastramento das famílias que serão beneficiadas pelo Cartão Alimentação..[+]

Divulgadas contas para doação ao Fome Zero.[mar/03]

Telefone 0800 do Fome Zero já está funcionando.[mar/03]
 

Informações sobre segurança alimentar e o Fome Zero

Rets, 29 de agosto, 2003. O Instituto Ethos, o International Finance Corporation e o Instituto Pólis acabam de lançar um banco de dados sobre o Programa Fome Zero e a publicação "Segurança alimentar e nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais". O banco de dados disponibilizará informações sobre entidades, iniciativas locais e a situação socioeconômica dos municípios priorizados pelo Programa Fome Zero.

Já a publicação consiste em um guia com algumas possibilidades de colaboração das empresas para a construção de alternativas sustentáveis de desenvolvimento local. O banco de dados e a publicação foram produzidos na parceria com o empresariado, com o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e com o Governo Federal. Mais informações pelo telefone (11) 3897-2400 ou pelo correio eletrônico ethos@ethos.org.br

''O governo não pode fazer tudo sozinho'', diz Frei Betto

Daniela Kresch, JB, fevereiro de 2003. Coordenador rebate críticas ao Fome Zero, mas admite haver desinformação. Leia aqui

"Vozes contra a fome"

Um vídeo para entender o Programa Fome Zero: Uma produção da Adital, com 18 minutos de duração, que apresenta o programa Fome Zero, enfocando as famílias de Guaribas (PI), depoimentos de educadores, membros do Movimento Sem Terra, Frei Betto, entre outros. Os primeiros passos do Programa e as metas a serem atingidas em todo o Brasil. Leia aqui

Inflação penaliza mais as famílias pobres, aponta IBGE

O aumento das tarifas de ônibus pesou no bolso dos cidadãos de menor renda. O INPC, que avalia as famílias com renda entre 1 e 8 salário mínimos, chegou a 0,99% em maio, acima do 0,61% registrado pelo IPCA - índice referente à classe média. Da Agência Carta Maior, 11/6/2003..[+]
 

Consciência.Net
Mundo Desigual
Conheça os números
.
Metas do Milκnio; clique na imagem
.
Sugestões
• Desemprego Zero
• Tabaco Zero
• Fome Zero
• Outras sugestões
.
Fome Zero

tel.: 0800 707 2003 :: Banco do Brasil :: Agência 1.607-1 :: Conta 100.2003-9 :: Caixa Econ. Federal :: Agência 0647:: Conta 2003.3