Literatura
.
MERCADO EDITORIAL # 17/10/2006
Editoras menores vendem mais ao governo federal

As regras para a divulgação de livros didáticos nas escolas públicas mudaram. E o jogo virou a favor das editoras de menor porte (...) Mesmo com um maior número de títulos aprovados este ano, os selos da Abril Educação tiveram queda nas vendas. A Ática, por exemplo, vendeu R$ 59,3 milhões, uma queda de 31% em relação a 2004. Por Tainã Bispo, do Valor Econômico..[+]

LEITORES # 8/10/2006
Um único partido chamado Brasil

Diz-me! / Que sonhar ainda é possível / Que derrubar o MURRO / Da desigualdade, da injustiça, não é uma utopia (...) Por Anísio Lana

LANÇAMENTO # 3/10/2006
Imprensa e Carnaval na Primeira República é tema de livro

A Editora da UFRJ convida para o lançamento do livro “Os cronistas de Momo – imprensa e Carnaval na Primeira República”, de Eduardo Granja Coutinho, no Rio de Janeiro nesta quinta-feira, 5 de outubro. Da Agência Consciência.Net, em 3/10/2006.

leitores
Anseio!

Um dia
Tudo aqui na terra será diferente
Todos
Serão felizes
E só o amor vai importar
Os filhos
Amarão aos seus pais
Que darão a eles o direito de serem filhos
Orgulhosos de suas raízes (...) Leia mais

prêmio jabuti
O jornalismo premiado

Um dos reflexos do ganho de qualidade dos jornalistas brasileiros com boa formação acadêmica está nos livros de reportagem que têm sido publicados recentemente. Eles não são mais apenas uma reunião de material que já saiu na imprensa periódica, mas um produto original. Não só novo como também denso, capaz de servir de referência a outros trabalhos intelectuais. É o que se pode ver pelos livros que receberam o Prêmio Jabuti deste ano, todos de alto nível (...) Por Lúcio Flávio Pinto, reproduzido do Jornal Pessoal nº 374, 2ª quinzena de agosto de 2006..[+]

cultura da paz
Diálogo para o Futuro é tema de livro

“Diálogo para o Futuro – As visões libertárias de duas pensadoras do quase impossível” é o título do livro lançado nesta quarta, 28 de junho, na Livraria Cultura (SP). Rosa Alegria e Oriana White organizam a obra que fala sobre o trabalho de Hazel Henderson e Rose Marie Muraro. A edição é da Cultrix. Informações adicionais, clique aqui..(Da redação, 27/6/2006)

música & poesia
Selo Karmim lança disco em comemoração aos 80 anos de Thiago de Mello
Thiago de Mello por Mauricio Castelo Branco; clique na imagem
O poeta Thiago de Mello, pilar da poesia social brasileira, completou 80 anos de vida no mês de março. A data passaria despercebida não fosse o lançamento, pelo selo Karmim, do CD comemorativo A Criação do Mundo, registro fundamental dos mais belos e importantes poemas que o autor amazonense produziu nos últimos 55 anos. Por Bruno Ribeiro, maio de 2006..[+]

lançamento
Antologia do “Pasquim”

Luis Fernando Verissimo registra em sua coluna, em 20/4/2006: “É difícil dizer quem deve aproveitar mais a antologia recém-publicada: quem não conhecia nada do “Pasquim” e vai descobrir do que se tratava ou quem viveu aquela época, e vai se deliciar de novo com o que se lembrava ou se surpreender com o que tinha esquecido. Com a genialidade ainda atual de Millôr, Henfil, Jaguar, Ivan Lessa, Ziraldo etc. eu não me surpreendi — mas como era bom o Chico Buarque escrevendo de Roma! Eu também não me lembrava de que tinha colaborado no Pasquim. Está lá. Uma página. E espero que o volume 2 (que deve vir, já que este é o 1) inclua os números publicados quando o pessoal foi preso, e nos quais todo o mundo colaborou.”

crônica
Prêmio Literário Carlos Heitor Cony

O grupo virtual Crônica & Literatura, com apoio da IGA Logos e Livros, está realizando o primeiro Concurso ‘Crônica & Literatura’, nas categorias crônica e poesia. O prêmio homenageará o cronista e jornalista brasileiro Carlos Heitor Cony. O tema é livre e as inscrições vão até 30/10/2006. Haverá uma antologia devidamente catalogada na Biblioteca Nacional, sob o número de ISBN. Os autores que tiverem seus trabalhos selecionados serão convidados a participar da edição do livro em regime cooperativista. Para maiores informações: cronicaeliteratura@triang.com.br ou no tel. (34) 3236-2952 (das 8 às 17h). Regulamento completo na página www.ivone.triang.net/concurso.htm

cultura
Unesco comemora Dia Internacional da Língua Materna

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) comemorou, em 21 de fevereiro, o Dia Internacional da Língua Materna. Lançada em 1999, a data quer promover a diversidade lingüística e a preservação das tradições culturais, já que metade das 6 mil línguas que se fala no mundo hoje corre o risco de desaparecer dentro de poucas gerações. Em sua mensagem alusiva à data, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, ressaltou a importância da preservação das línguas nativas no mundo: “Entre os 280 mil índios que ainda existem no Brasil, cento e sessenta e tantas línguas ainda são faladas. Nós precisamos evoluir no Brasil e em outros países para que as línguas nativas sejam ensinadas para todo o conjunto das nossas sociedades”. Com informações da Unesco em 20/2/2006.

leituras I
Feira de livros raros reúne colecionadores e leitores na Basiléia

Basler Büchermarkt der AntiquareA Basler Büchermarkt der Antiquare mantém a tradição de 11 anos e traz para o centro da Basiléia a famosa feira de livros raros. Os proprietários dos 15 sebos recebem pessoalmente os visitantes nos 3 dias de vendas. A feira, que aconteceu entre 27 e 29 de janeiro, ocupou um local da cidade a cada dia: Schmidernhof, Grosser Saal e Rümelinsplatz, todos de fácil acesso. Independente do frio, colecionadores, leitores e curiosos visitaram os estandes com livros seculares. Por Ana Rachel Carvalho Dantas, da Suíça, especial para a Revista Consciência.Net, em fevereiro de 2006..[+]

leituras II
Clássico belo e triste

Os Meninos da Rua Paulo, de Ferenc Molnár (1878-1952)A infância parece ser a etapa mais leve e descompromissada da vida. Só parece. Na verdade, a infância é tão densa e conflituosa quanto a idade adulta – a literatura infanto-juvenil não se cansa de registrar isso. Poucos livros serão tão belos e tão tristes como Os Meninos da Rua Paulo, do jornalista e escritor húngaro Ferenc Molnár (1878-1952), obra que encantou gerações em todo o mundo e que acaba de sair da lista de esgotados graças a novíssima reedição da Cosac Naify. Por Bruno Ribeiro, fevereiro de 2006..[+]

literatura I
Da Teoria à Prática: outro soneto Camoniano

Realizamos aqui o esboço duma possível análise do soneto Pede-me o desejo, Dama, que vos veja, de Luís de Camões, à luz das Linhas de Leitura propostas por Maria Vitalina Leal de Matos em A Lírica de Luís de Camões. Para tanto, partiremos da observação da engrenagem silogística do poema, estrofe a estrofe, no intuito de demonstrar como, na oposição entre a teoria e a prática, a ação predomina em detrimento da idealização apesar do domínio sobre a teoria se fazer presente na poética camoniana (...) Por Carolina Albala Joffily, fevereiro de 2006..[+]

literatura II
Análise Bandeiriana

Breve análise do poema "Pensão Familiar", de Manuel Bandeira, tendo em vista suas semelhanças estilísticas e formais ao "Cielo e Mare", de Oswald de Andrade, de forma a relacionar os poemas segundo padrões estéticos e ideológicos do Movimento Modernista Brasileiro. Por Carolina Albala Joffily, fevereiro de 2006..[+]

literatura III
Análise Camoniana

Enquanto Camões Épico acata todo o ideal harmônico do equilíbrio renascentista, tanto em forma quanto em conteúdo, retratando e exaltando a estabilidade, a mesura, o Amor incorruptível e o autocontrole heróico na aspiração da universalidade, da sublimação e na busca da plenitude, a Lírica Camoniana dá vazão ao caos interno do "eu-lírico", caracteriza o inefável, foge ao universal e tende ao particular (...) Por Carolina Albala Joffily, fevereiro de 2006..[+]

exclusão
Livro fala sobre invisibilidade como causa da violência

O Mistério das Bolas de Gude, de Gilberto Dimenstein.O jornalista Gilberto Dimenstein e o coreógrafo e professor de dança Ivaldo Bertazzo participam, no dia 22 de fevereiro, das 19h30 às 21h30, na Livraria da Vila, em São Paulo, de um bate-papo sobre o tema “A dança da invisibilidade”. No mesmo dia, Dimenstein lança seu novo livro, “O Mistério das Bolas de Gude”. Para o jornalista, a invisibilidade é uma das principais causas da violência no Brasil de hoje. Da redação, 17/2/2006..[+]

rio de janeiro
Livros raros em exposição na UERJ

O Núcleo de Memória, Informação e Documentação da UERJ promove uma exposição de livros raros dos séculos XVII e XVIII. A mostra está em exibição das 9h às 18h. Mais informações: (21) 2587-7441. Anota aí: Bloco C, 2º andar do Pavilhão João Lyra Filho – sala 2002, campus Maracanã..(Da redação, 8/2/2006)

poesia I
A poesia de Raquel Moraes

Os rios morrem.
As plantas são queimadas.
A Terra é danificada.
E o povo, todo na miséria.
E a vida patenteada. (...) Lê mais!
poesia II
O Guardador de Rebanhos
O meu olhar é nítido como um girassol. 
Tenho o costume de andar pelas estradas 
Olhando para a direita e para a esquerda, 
E de vez em quando olhando para trás (...)
Alberto Caeiro, em 1914
poesia III
Tecendo a Manhã
Um galo sozinho não tece a manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro: de um outro galo (...)
João Cabral de Melo Neto
poesia IV
Não acabarão com o amor
Não acabarão com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço o juramento:
Amo
firme,
fiel
e verdadeiramente
Vladimir Maiakówsky, 1922 (dica do Fábio)


cidadania
“Favela: alegria e dor na cidade” retoma História e humaniza favelas cariocas

Foi lançado no dia 15 de dezembro, na Biblioteca Nacional, o livro “Favela: alegria e dor na cidade”, de Jorge Luiz Barbosa e Jailson de Souza e Silva. Segundo seus autores, a publicação busca apresentar uma visão integrada sobre o processo de constituição das favelas cariocas e das representações sobre ela. O prefácio foi escrito por Paulo Lins, que você lê a seguir. Da redação, dezembro de 2005..[+]

música & literatura
Partido-alto: samba de bambas, de Nei Lopes

O sambista e escritor Nei Lopes, um dos maiores pensadores vivos do samba, acaba de lançar mais um livro que promete se tornar referência. Desta vez o objeto de análise é o partido-alto, linha de samba considerada por ele como a mais complexa e criativa dentro do gênero. Partido-Alto: Samba de Bambas (Ed. Pallas, 264 pág., R$ 38) esmiuça as origens rurais do "partido" (...) Por Bruno Ribeiro, para o Caderno C, em Campinas, dezembro de 2005..[+]

poesia
Moacyr Félix, paixão e utopia

Faleceu no dia 25 de outubro de 2005, aos setenta e nove anos, o poeta e cidadão Moacyr Félix de Oliveira, autor de 13 livros de poesia. Poesia esta que sempre manteve no seu cerne a indignação contra a vida miserável, contra os donos do poder, que mantêm acorrentados os homens ao mais insano sistema de produção de barbárie que a humanidade jamais conheceu. Moacyr foi um combatente, um gladiador ético-político da luta por uma sociedade mais justa e um mundo melhor. Por Carlos Lima, novembro 2005, de Gramsci.org..[+]

políticas públicas
50 milhões de livros didáticos para 2006

Já está concluído o processo de negociação para a compra dos livros didáticos que serão distribuídos aos alunos das redes públicas de ensino básico no início de 2006. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) terminou na semana passada a última rodada de encontros com os grupos editoriais que detêm os direitos autorais das obras que serão adquiridas pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e pelo Programa Nacional do Livro do Ensino Médio (Pnlem) 2006. O FNDE gastará R$ 303 milhões para executar os dois programas do livro. Nota no Portal da Comunicação, 20/9/2005.

mídia
O jornalismo manipulador da Veja se volta contra escritores

A revista Veja publicou neste fim de semana uma matéria sobre o Movimento Literatura Urgente, deflagrado no ano passado, com o propósito de discutir propostas de políticas públicas para a literatura, e que enviou ao Ministério da Cultura um manifesto com dez propostas iniciais, assinado por 181 escritores de todo o País. A matéria da Veja é superficial e maldosa, como era de se esperar(...) Análise da revista FÓRUM publicada no site NOVAE em julho de 2005.

brasil
Enciclopédia da brasilidade ganha ‘lançamento civil’ na ABI

Será realizada na sede da ABI, nesta segunda (18/7), a apresentação da “Enciclopédia da brasilidade — auto-estima em verde e amarelo”, obra organizada pelo professor Carlos Lessa que reúne estudos e ensaios de quase seis dezenas de pensadores. O ato terá como expositores alguns autores e o próprio organizador da publicação, que define o evento como “um lançamento civil para um caleidoscópio estético, pedagógico e motivacional do Brasil”. Por José Reinaldo Marques, no sítio da ABI, 14/7/2005..[+]

crônica
O Beto, o Caminhão e os Livros

(...) Desde pequena, a revistaria do Jairo era certamente a noção mais próxima que tinha de uma biblioteca. Morar no interior é de longe a pior maneira de inserção no meio literário: livro era, no máximo, o livro-texto da escola; livraria era banca de revistas, mal localizada nas bordas da praça central. Por Helana Gurgel..[+]

nas prateleiras I
Leandro Konder lança livro

''As Artes da Palavra, elementos para uma poética marxista'', de Leandro Konder, acaba de ser lançado pela Boitempo Editorial. A obra é dividida em duas partes. Na primeira, Konder analisa cinco gêneros da expressão literária: poesia, romance, teatro, ensaio, crônicas e cartas. Na segunda, “parte para um desenvolvimento original do conceito de realismo na literatura, a partir da análise e comparação de um romancista notadamente realista, Honoré de Balzac, com a busca ao que existe de realismo na obra de Fernando Pessoa, um poeta que inventava inclusive os autores de seus poemas. Fortemente inspirado pelo filósofo húngaro Georg Lukács, Konder busca uma definição do que é realismo e sua relação com a força das grandes obras de arte.” Do NPC, junho/2005..[+]

nas prateleiras I
Os ensinamentos do bonde da Revolução do século 20

''Revoluções do Século 20'' revê as experiências soviética, chinesa e cubana. Ao final da leitura permanece a grande pergunta lançada por Lênin, em 1903: O que fazer? Depois que o bonde das revoluções do século 20 passou, resta a pergunta: o que os erros do passado ensinam aos interessados em mudar os atuais regimes capitalistas? Este é o horizonte dos três primeiros livros da Coleção Revoluções do Século 20, organizada pela historiadora Emília Viotti e editada pela Unesp. As três primeiras publicações da coleção são: As Revoluções Russas e o Socialismo, de Daniel Aarão Reis, A Revolução Chinesa, de Wladimir Pomar e A Revolução Cubana, de Luis Fernando Ayerbe. (Fonte: Giberto Tedéia – Revista Reportagem)

censura
Morais: veto a livro é barbárie

PARIS. O escritor Fernando Morais chamou ontem de “barbárie, censura e violação da Constituição” a decisão do juiz Jeová Sardinha, da 7 Vara Criminal de Goiânia, que ordenou o recolhimento de exemplares de seu recém-lançado livro “Na Toca dos Leões”, depois de uma ação movida pelo deputado federal Ronaldo Caiado (PFL-GO). Um dos personagens do livro cita suposto projeto do deputado para esterilização em massa de mulheres nordestinas, como solução para a “superpopulação” de pobres na região. Do jornal O Globo, 12/5..[+]

leitura
Editoras líderes investem em livros de bolso para ampliar público

Fique de olho no seu bolso. A nova é que desta vez não querem tirar nada dele. Tem muita gente, e agora é gente grande, querendo é colocar algo aí. Pela primeira vez em décadas, editoras líderes de mercado se movimentam para investir pesado em um segmento consolidado há mais de meio século em países como os Estados Unidos, a Inglaterra e a França: livros de bolso. Da Folha de S. Paulo, 14/4/2005..[+]

resenha
Diários Selvagens

Desde sua morte, em 1986, o jornalista Carlinhos Oliveira permaneceu praticamente esquecido. O Homem na Varanda do Antonio’s (Record, 308 pág) e Diário Selvagem (Record, 518 pág) acabam de chegar às livrarias e vêem preencher uma incômoda lacuna. Já não era sem tempo. Os dois volumes, organizados pelo escritor Jason Tércio, dão o pontapé inicial no processo de redescoberta daquele que foi um dos mais ácidos e autodestrutivos colunistas da imprensa nacional. Por Bruno Ribeiro, março de 2005..[+]

A Cigarra Existencialista
Uma leitura do conto Cega-Rega, de Miguel Torga

Neste ensaio, pretende-se apontar alguns traços existencialistas latentes na concepção de Miguel Torga a partir da leitura de Cega-Rega, conto de Bichos, tendo em vista a função alegórica cumprida pela protagonista ao simbolizar o homem. Por Carol, março de 2005..[+]

crônica
James Enéas, agente secreto

Recebi uma carta do QG na minha residência – não tenho acesso à Internet - em Ceilândia. O general L.M. me dava ordens de seguir J.S., um ativista muçulmano xiita, em sua passagem por Brasília. Na carta dizia apenas onde o “Carcamano” estaria hospedado e que eu deveria fazer um relatório sobre sua movimentação, enviando tudo depois em três vias para o tenente-coronel S.G. Mandei um beijo na minha mulata Gérsan, outro no meu vira-lata Agepê e sai do barraco rumo à Asa Sul (...) Por Castelo, março de 2005..[+]

opinião
O Intelectual Raivoso

(...) Na sua progressão arrastada, o intelectual raivoso deixa atrás de si o rastro pútrido da reafirmação das visões culturais obscurantistas ensejadas por ordem capitalista que, em estágio senil consolidado, propõe apenas a inevitabilidade da miséria, da desigualdade, do egoísmo, do individualismo, da fome, da guerra e da morte. É cadáver que se crê vivo, rondando pelo mundo, aos gritos, na vã tentativa de assombrar a vida. Por Mário Maestri, março de 2005. [+]

boa idéia
Projeto leva pequenas bibliotecas a comunidades rurais carentes do País

O passado de resistência, a cultura negra e a modernidade que só se vê de longe chegaram a Castanhinho na semana passada permeados nos 220 livros que compõem a Arca das Letras. Castanhinho, nas cercanias de Garanhuns, é uma das 62 comunidades quilombolas de Pernambuco beneficiadas pelo projeto, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A iniciativa que leva pequenas bibliotecas a comunidades rurais mais carentes do País e é tocada por uma pasta que, teoricamente, não tem nada a ver com livros, mostra como o Brasil está mobilizado para democratizar o acesso aos livros neste Ano Ibero-Americano da Leitura. Da CruzeiroNet, 25/3/2005..[+]

cultura
Ato público na escadaria da Biblioteca

Cerca de 50 servidores da Biblioteca Nacional fizeram ontem um protesto público na escadaria do prédio, na Cinelândia. Eles acusam a direção de omissão diante do que chamam de destruição do patrimônio público. Para eles, a transferência de parte do acervo para um prédio sem climatização na Avenida Rodrigues Alves, as goteiras e o mofo no prédio principal e o armazenamento de livros em caixas no chão são uma ameaça a obras de até 200 anos. Do jornal O Globo, 12/3..[+]

poemas selecionados
Manoel de Barros

Sou um sujeito cheio de recantos.
Os desvãos me constam.
Tem hora leio avencas.
Tem hora, Proust.
Ouço aves e beethovens.
Gosto de Bola-Sete e Charles Chaplin.
O dia vai morrer aberto em mim.
.
Manoel de Barros
(Seleção de Bruno
Ribeiro Santos)


boas novas
Livros do Senado na sala cirúrgica

Centro de Documentação (Cedoc) da Universidade de Brasília está restaurando 4 mil obras que pertencem ao Senado. Além da história política do país, exemplares raríssimos da literatura dos séculos 17, 18 e 19 estão sendo tratados. Da Agência Fapesp, 23/2/2005..[+]

boa idéia
Borracharia vira biblioteca na Grande Belo Horizonte

BELO HORIZONTE. No lugar dos tradicionais calendários eróticos, estantes com enciclopédias, revistas e livros. Desde agosto de 2002, a borracharia do Joaquim, em Sabará (região metropolitana de Belo Horizonte), faz as vezes de biblioteca para os moradores da região. De tão inusitado, o lugar foi batizado com um neologismo -"borralioteca"- por seu idealizador, o borracheiro Marcos Túlio Damascena, 26. Ele é o responsável pela montagem do acervo de 1.600 exemplares, distribuído em seis prateleiras e disponível para empréstimos gratuitos. Da Folha de S. Paulo, 14/2/2005..[+]

mercado editorial
Editores tentam enfrentar na Justiça movimentos de fundo anarquista

Ninguém sabe como eles se chamam e nem de onde vêm. Mas suas publicações já estão se tornando conhecidas nos corredores das universidades e no setor editorial brasileiros. Eles se auto-intitulam sabotadores. E sua editora é o site Sabotagem. No slogan, disparam sua filosofia: Conhecimento não se Compra. Se Toma. A subversão dos direitos autorais e a criação de um sistema alternativo de difusão de livros, um dos temas-chave do Fórum Social Mundial (que acontece de 26 a 31 de janeiro em Porto Alegre), tem nos integrantes do Sabotagem seus representantes mais radicais. O site oferece, para download gratuito, cerca de 200 títulos. De ilegalidade, eles podem ser acusados. De mau gosto, não. Por Ana Paula Sousa, da CartaCapital, janeiro de 2005..[+]

denúncia
A destruição de um século da memória nacional

Convocamos os interessados na preservação da memória nacional a se juntarem ao corpo de funcionários da Coordenadoria de Publicações Seriadas da Biblioteca Nacional, no repúdio a atual administração que prepara-se para enviar para um local sem condições mínimas para guarda de acervo, diários oficiais e jornais originais muitas vezes únicos existentes no País. Tão destruidor quanto o fogo ou a água é a má administração. Funcionários da Coordenadoria de Publicações Seriadas da Biblioteca Nacional (Brasil). Rio de Janeiro, 27 de janeiro, 2005

Dicionário ironiza política e sociedade americana

NOVA YORK. Como reunir textos assinados por nomes como Paul Auster, Stephen King e Kurt Vonnegut, somá-los às ilustrações de gente como Chris Ware e, no pacote, oferecer uma trilha sonora que inclui R.E.M., They Might Be Giants, Yeah Yeah Yeahs e David Byrne? Simples. Convoque-os para criticar a presente política americana. O resultado desse coletivo inédito - que reúne mais 190 escritores, jornalistas, historiadores, músicos e cartunistas - é "The Future Dictionary of America" (O Futuro Dicionário da América), da editora McSweeneys. Da Folha de S. Paulo, 17/1..[+]

Memórias da Casa Velha

O escritor e jornalista Petrônio Souza Gonçalves lança seu primeiro livro: “Memórias da Casa Velha”, pela Editora Europa, Rio de Janeiro. Natural de Belo Oriente, leste mineiro, Petrônio passeia, em pequenos contos, pelos cenários da sua infância, povoados pelas coisas do interior. O livro tem apresentação do ex-ministro da Cultura, José Aparecido de Oliveira, e prefácio do escritor Celso Brant - in memoriam, além de depoimentos de Millôr Fernandes, Eduardo Almeida Reis, José Louzeiro, Ivan Alves Filho, Carlos Lindenberg, Oséas de Carvalho, Adriana Bagno, Pinheiro Junior e Adolfo Mauricio Pereira. [+]

Número de leitores no país ainda é pequeno

O Dia do Leitor, comemorado hoje (7/1), acontece quando apenas 25% dos brasileiros, com idades entre 15 e 64 anos, têm habilidade plena de leitura. Dentro da mesma faixa etária, 8% são analfabetos absolutos, 30% são capazes de entender informações simples, e 37% lêem e entendem textos curtos. Enquanto na França cada habitante lê, em média, sete livros por ano, no Brasil o número é de apenas 1,8. As informações fazem parte da pesquisa Retrato da Leitura no Brasil, realizada pela Câmara Brasileira de Livros (CBL) e outras entidades. Já no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), que mediu o desempenho de 250 mil estudantes de 15 anos em 32 países, os brasileiros ficaram em último lugar. Do Diário do Nordeste, 7/1..[+]

Leonardo Boff globaliza crítica à globalização

Frei contorna marxismo e afina visão holística da humanidade pela ecologia. Novo livro dele é sobre São José e trará prefácio de Paulo Coelho. Por Edson Wander, para a Agência Carta Maior..[+]

Terra em transe

A filosofia costuma emergir de onde menos se espera. Ela pode aflorar, por exemplo, de um grande terremoto, como o que devastou a Ásia no domingo e provocou a morte de mais de 23 mil almas. Como isso pôde acontecer é uma pergunta que já ocupou dois dos maiores filósofos de França. Falo da célebre polêmica entre Voltaire e Rousseau acerca do terremoto de Lisboa, de 1755, evento no qual algo como 60 mil pessoas perderam a vida. Indignado, Voltaire (1694-1778) escreveu seu "Poema sobre o Desastre de Lisboa", no qual questiona como um Deus benevolente e onipotente teria permitido tamanho desastre. Por Hélio Schwartsman, FSP, 28/12.[+]

Projeto recolhe livros para formar Biblioteca Social Mundial

Está sendo construída em Porto Alegre uma biblioteca de alternativas. No próximo FSM, os participantes são convidados a trazer um ou mais livros para o "Mosaico de Livros -  Biblioteca Social Mundial" (www.mosaicodelivrosfsm.org), em qualquer idioma, dentro dos temas tratados no Fórum Social Mundial. O objetivo é inaugurar, em 2005, uma biblioteca pública mundial com alternativas para  a construção de um mundo melhor, também acessível pela Internet. O Mosaico de Livros é uma campanha do Acampamento Intercontinental da Juventude..FSM, 24/12

Feira do Livro de Havana convida Brasil em 2005

O Comitê Organizador da 14ª Feira Internacional do Livro de Havana (FILH 2005), que começará em 3 de fevereiro de 2005, convida as pessoas e entidades ligadas ao mundo dos livros a participarem do encontro..Adital, 30/11

MEC lança portal Domínio Público com mais de mil obras digitalizadas

O ministro da Educação, Tarso Genro, lançou nesta terça-feira o portal Domínio Público. O sítio é uma biblioteca digital com mais de mil obras literárias, músicas, fotografias e quadros que já são de domínio público ou têm autorização legal para divulgação. O endereço eletrônico é www.dominiopublico.gov.br..Agência Brasil, 16/11/2004

Os encontros singulares na vida e na obra de Fernando Sabino

Por Ana Rachel Dantas, abril de 2004. Encontros e reencontros permeiam a vida de Fernando Sabino: as reuniões com Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes de Campos, o seu clássico O Encontro Marcado, os embates amorosos e sociais e, o mais latente, a tentativa de encontrar-se menino, o que a precocidade não permitiu. Sabino acredita veemente em coincidências e talvez essa seja sua premissa básica..[+]

Histórias de rir e de assustar é o primeiro livro em português dos índios Tuyuka

Os Tuyuka que habitam o Alto Rio Tiquié, região do Alto Rio Negro, no noroeste Amazônico, começam a usar sua língua escrita para produzir sua própria literatura. A publicação que acaba de ser lançada - com o nome de Histórias Tuyuka de rir e de assustar -, é a tradução do original Kiti wederira tuohoarira, publicado em 2003, versão que circula nas comunidades indígenas da região, fortalecendo o uso da língua entre crianças e jovens..Instituto Socioambiental, 5/11

Sinfonia Inacabada conta a história de José Lutzemberger

Acaba ser lançada a biografia de José Lutzemberger - agrônomo, Secretário-Especial do Meio Ambiente da Presidência da República de 1990 a 1992 e, acima de tudo, um combatente na luta pela conservação e preservação ambiental. O livro foi escrito pela jornalista Lilian Dreyer em parceria com a Fundação Gaia..Instituto Socioambiental, 18/10/2004

"A história da luta pela terra e o MST" é selecionado para o programa Livro Aberto

A Editora Expressão Popular teve três livros selecionados programa Livro Aberto, lançado pelo governo federal este ano. O objetivo do programa é adquirir livros considerados importantes para os acervos públicos. Eles serão destinados a municípios que ainda não têm biblioteca...da redação, 4/10

Juarez, Mundinha e Joaquinho

Moacyr Andrade. A obra de Juarez Barroso, cronista morto em 1976, reaparece em nova edição de contos publicada em edição luxuosa. Para o escritor, o povo não era mito. Era capaz de satirizá-lo, de rir dele, de ressaltar as suas virtudes por meio de contrastes com os seus aspectos negativos...NoMínimo, 4/10

Para a luta do dia-a-dia

Gustavo Barreto, 27 de setembro, 2004. Você se interessa por livros sobre temas como trabalho, movimentos sociais e trajetória da esquerda na História? Então um bom lugar para visitar é o sítio da Editora Expressão Popular. Como já diz o nome, a editora possui preços acessíveis a qualquer pessoa e não deixa a desejar em nada no que diz respeito à qualidade do conteúdo das publicações..[+]

Programa Livro Falado capacita voluntários para serem leitores

"Inclusão para mim é criar condições reais de educação e cultura". Esta é a afirmação de Analu Palma, escritora, atriz e coordenadora das oficinas do projeto Livro Falado que, em 2000, apresentou um projeto à Academia Brasileira de Letras para gravar livros acadêmicos para os deficientes visuais. A resposta foi positiva e hoje o projeto doa obras para 50 audiotecas em todo país...Setor3, 27/9

Dicionário Português/ Português

A cumieira, a cimeira, a cúpula, trouxe de novo à discussão se devemos ou não devemos admitir influência de línguas estrangeiras. Ah, Portugal não fala língua estrangeira? Então vejam se entendem este texto (...)..Millôr Fernandes

Mais de Bertolt Brecht

Escritor descobre inéditos do dramaturgo alemão na Suíça..Jornal do Brasil, 24/8

Parati: Escritor "etc." não vai à feira

Deonísio da Silva. A Festa Literária Internacional de Parati (Flip) é um acontecimento louvável. (...) Seus organizadores, porém, estão dando alguns tropeços perfeitamente evitáveis, se fossem mais cuidadosos e dessem o devido respeito a quem os faz por merecer...Observatório da Imprensa, 22/06

Letras de amanhã

“Mosaico de livros” quer contar como um mundo melhor foi construído. Para leitores de hoje e do futuro...Outras Palavras, 12/05

Base eletrônica do conhecimento em português

MCT e Unesco lançam projeto do site E-Livro, para troca de informações entre países de língua portuguesa. O objetivo é contribuir para a socialização do conhecimento e de informações de qualidade...Agência Fapesp, 11/05

‘O povo tem fome de comida e de livros’

A frase do poeta Waly Salomão é uma das inspirações do programa “Fome de Livro”, que pretende instalar, até 2006, mais de 1 mil bibliotecas públicas no Brasil. No fim de maio, estará pronta a lista das 2 mil obras que serão distribuídas pelos novos centros de leitura brasileiros...Agência Fapesp, 7/5

Livro, objeto do desejo do Leitor

Mauro Rosso. As considerações aqui traçadas referem-se ao livro que circula e é comercializado no denominado “mercado livreiro”, excluídos desse cenário de comentários e observações os livros didáticos e paradidáticos, que têm mecânica e dinâmica próprias de circulação e difusão..Agência Carta Maior, 28/4

Saint-Exupéry aterrissa, finalmente

Seu desaparecimento gerou um fascínio agora revivido com a descoberta de destroços de seu avião.The New York Times, abril de 2004

Política e religião em livros de ficção cristã

Emir Sader. Livros de ficção científica cristã, inspirados nas profecias bíblicas, já vendem mais que Harry Potter nos EUA. Esse gênero novo preocupa pelo extremismo de suas mensagens...Agência Carta Maior, 22/4

Fome de Livro vai zerar cidades sem bibliotecas

Programa do Ministério da Cultura vai criar, até 2006, bibliotecas nos mais de mil municípios sem instalações e estimular a leitura no País..Agência Carta Maior, 16/4

Livros de memória sobre o FSM 2003

A coleção completa dos livros de memória do Fórum Social Mundial 2003 já está à venda. Trata-se da compilação das principais atividades ocorridas em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, de 24 a 27 de janeiro de 2003 – resultado do trabalho de sistematização realizado durante o evento. Os cinco volumes estão disponíveis apenas na versão em português...08/04, leia mais

Millôr: O humor da honestidade

Millôr Fernandes espalha seu humor ferino contra o mundo. Nem Machado de Assis escapa. Por Paulo Polzonoff Jr., do Rio de Janeiro, para a revista Rascunho, maio de 2004.

O Viajante das Estrelas

Sternenreisender ou O Viajante das Estrelas é a edição bilíngue (português-alemão) do mais novo livro de José Waldir Rodrigues com a tradução de Sérgio Krieger Barreira. O poeta aborda a vida: partidas, infartos, datas, sentimentos e tudo o mais que acomete o ser de forma lírica, lirismo este que toma seu ápice em "Soneto do Amor sem fim" ou “Sonett der Unendlichen Liebe”.

Mariana

Bruno Ribeiro, 16 de fevereiro, 2004. Mariana. O nome já diz tudo. Pronunciá-lo é como entoar um mantra ou andar com pés descalços na beira do mar. No próprio nome do nome, em sua sonoridade, derrama-se poética a paisagem litorânea do Brasil, com seus verdes varados de vento, suas asas de gaivota e seu aroma marinho.

Direitos do leitor

Verissimo, 5 de fevereiro, 2004. Já existe um estatuto para os idosos e um para os torcedores de futebol, deveria haver algo parecido para leitores de jornais e revistas.

Medo do morro

Agência Fapesp, 4 de fevereiro, 2004. Hegemonia conservadora das elites mudou muito pouco no cenário carioca desde os tempos imperiais. No livro O Medo na Cidade do Rio de Janeiro, a historiadora Vera Malaguti aborda a questão do medo do ponto de vista sociológico e antropológico. Antes se temiam os quilombos; hoje, as favelas.

Democracia Corintiana: a Utopia em Jogo

Bruno Ribeiro, 20 de janeiro, 2004. Escrito a quatro mãos, pelo jornalista Ricardo Gozzi e por Sócrates, Democracia Corintiana – A Utopia em Jogo (Editora Boitempo, 184 pág, R$ 26) recupera as memórias do Corínthians democrático e analisa o contexto histórico do movimento.

A obsessão pela autoria

Gustavo Barreto, 8 de janeiro, 2004. Parece absurda, hoje, a idéia de que as idéias valem por si só. Um livro bem escrito, com frases relevantes e que atiçam a alma, continuará a sê-lo com ou sem assinatura.

A dialética radical do poeta Ivan Junqueira
Leandro Konder, 3 de janeiro, 2004

Chuva inunda sala de obras raras de biblioteca da UFRJ

O Globo, 3 de dezembro, 2003. Cerca de 200 livros raros, entre eles obras do século XIX e que chegaram ao Brasil com a Missão Artística Francesa — trazida por dom João VI — estão encharcados, correndo o risco de se perderem para sempre.

Breve História do Homo sapiens

Márcio Salgues. [...] Na esfera das abstrações o planetinha azul tornara-se um caos ideológico-filosófico-religioso, com um sem número de gurus, messias, escritos sagrados e verdades propostas. A política tornara-se uma mera arma econômica usada por grupos poderosos, chefiados por líderes cheios de ganância, a fim de subtrair os recursos alheios.

Grandes editoras ignoram feira de livros na periferia do Rio

Emir Sader, Agência Carta Maior, 6 de outubro, 2003 [...] A I Feira do Livro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foi ignorada pela imprensa e não conta com estandes de nenhuma das grandes editoras brasileiras. Mais um sinal de como é discriminada e execrada a população de regiões pobres do país.

Um poema anônimo feito para o Lula

Leandro Konder [...] Tomei conhecimento de um poema anônimo, que alguém enfiou por baixo da porta do apartamento onde moro. 
Desconfio que o autor dos versos seja Alberto, o velho sapateiro anarquista. Primeiro porque sei que Alberto comete poemas.

As Bananas

Verissimo. [...] Quando começaram a se apresentar, nas festas de família, Lilian, a mais moça, mal sabia andar. Ficava entre as outras duas, que a amparavam. Era a que mais brilhava do trio, pois tentava imitar as irmãs e não conseguia, não acertava os movimentos, errava as letras das músicas, caía no meio do número - um sucesso.

O caos urbano

Débora Motta. [...] A partir de qual maldito momento no caos urbano houve a banalização e a perda da capacidade de indignação?

O Haiti do Aldir

D’OPasquim21 de 16.07.2002: “O leitor que chegou a esta página 5 já passou pela 2, 3 e 4. Portanto, já encontrou no artigo da colega Angela Dutra de Menezes a seguinte frase: “A Argentina seja aqui – porque o Haiti já é, o guru Caetano Veloso não exagerou”. Só para fazer justiça a outro colaborador d’OPASQUIM21, esclareço que a frase “O Haiti é aqui” foi cunhada por Aldir Blanc, em corpo e título de crônica puro-sangue nas páginas do caderno Cidade do Jornal do Brasil, ilustrada por outro dos nossos, o Lan, muito antes da canção de mesmo nome feita pelo Caetano. Fica o registro, para quem tiver interesse. (Luís Pimentel)”
 
 

Ana rachel En Español
Las imagenes eroticas y los sentimientos que lo proporcionan, sirven de base para que la brasilera Ana Rachel FC Dantas nos sumerga en prosas llenas de emociones.

Mude
Edson Marques

Epitáfio do século XX
Affonso Romano de Sant'ana

Impressões do Peixe
Bruno Ribeiro dos Santos, 01-12-2003

..Arquivo 2003


iniciativa
Proposta compensa professores por compra de livros

Os professores poderão deduzir nas suas declarações de imposto de renda as despesas realizadas com a compra de livros e de implementos de computação. Projeto de lei nesse sentido foi apresentado na Câmara pelo deputado Chico Alencar (PT-RJ). O parlamentar disse que a iniciativa pretende promover e incentivar a educação, em consonância com um dos princípios em que se deve basear o ensino ministrado no país: a garantia do padrão de qualidade. “Lamentavelmente, muitos professores, de todos os níveis de ensino, têm utilizado a estrutura de que dispõem em suas residências para realização dos seus trabalhos, por não encontrarem nas escolas e universidades condições adequadas ao exercício de suas funções”, afirmou Chico. Informações da Agência Informes, em 5/9/2003.


Esta seção está passando por uma reformulação.


Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre
Google: Pesquisa de livros
Google Acadêmico

Dicionário da Língua Portuguesa
.
Projeto Leituras
Está lendo um livro? Comente um trecho, critique, elogie, cite, faça uma resenha, escreva uma frase etc.

Labirinto Literário
Citações: Artes
Arquivo: 2000/2003
Dicionários

E-books
—>.A Desobediência Civil (Henry David Thoreau)

LEI Nº 9.610
Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências

Google Scholar
O Google colocou no ar uma ferramenta de busca gratuita para pesquisas acadêmicas. A ferramenta trabalha com um algorítimo para recuperar as pesquisas acadêmicas mais relevantes

Epistolário de M. de Assis
Microcontos
Antologia da noite em claro

Poemas de Bruno Ribeiro
Email para esta editoria

---------
Texto = tessitum = "tecido"
Utopia= u: não; topia: lugar (topografia)

América Latina

Carlos Drummond de Andrade
Mário de Andrade
Augusto dos Anjos
Manuel Bandeira
Fabrício Carpinejar
Millôr Fernandes
Ferreira Gullar
Hilda Hilst
Mario Lago
Clarice Lispector
Cecília Meireles
Vinicius de Moraes
Raduan Nassar
João Cabral Melo Neto
L. M. Chaves de Oliveira
Paulo César Pinheiro
Mário Quintana
Jésus Rocha
João Guimarães Rosa
A. R. de Sant’Anna
Lau Siqueira
L. F. Verissimo

Europa

Bertolt Brecht
Fernando Pessoa

África

Arlindo Barbeitos

Autores da casa

Ana Rachel
Bel Poetisa
Bruno Ribeiro
Carol
Gustavo Barreto
Helana Gurgel
Renato Kress

Outros autores

João Ruy
Lourenço Cardoso
.
Esta seção conta com a valiosa e indispensável colaboração de Carol, Ana Rachel e Bruno Ribeiro Santos

Consciência.Net