observatório
Aula Virtual e Democracia
boletim 4, ano 1 — novembro de 2004
Jornalista responsável: Cláudio Júlio Tognolli (CJT)
.
.
.............................................................................
Ilan Gur-Ze-ev
• PhD.em Filosofia da Educação
• Universidade de Haifa, Israel
• Dê sua opinião..—..Contato

A influência da Teoria Crítica sobre a atual filosofia da educação é imensa. Tais manifestações ultrapassam os horizontes de uma Pedagogia Crítica como realização concreta da Teoria Crítica no processo de escolarização. Mesmo em sentidos restritos de escolarização, pedagogias feministas, teorias da educação multiculturais e pós-coloniais, estudos culturais, bem como de leitura e escrita críticas ou educação estética observa-se a influência das idéias de Theodor Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse, Walter Benjamin, Erich Fromm e outros membros da Escola de Frankfurt. Algumas dessas influências se evidenciam claramente em significativos pensadores da educação como Paulo Freire, Henry Giroux e Kathleen Weiler; outras são menos explícitas ou subterrâneas e realizadas indiretamente.

Fonte:  A teoria crítica e a possibilidade de uma pedagogia não-repressiva; Tradução do Inglês para o Português: Newton Ramos de Oliveira  (first draft)

.............................................................................
Andrew Lewis Feenberg
• Ph.D., Philosophy
• Simon Fraser University Canadian - School of Communication Research Chair Philosophy of Technology
• Dê sua opinião: contato

A tecnologia é uma das maiores fontes de poder nas sociedades modernas. Quando as decisões que afetam nosso dia-a-dia são discutidas, a democracia política é inteiramente obscurecida pelo enorme poder exercido pelos senhores dos sistemas técnicos: líderes de corporações, militares e associações profissionais de grupos como médicos e engenheiros. Eles possuem muito mais controle sobre os padrões de crescimento urbano, o desenho das habitações e dos sistemas de transporte, a seleção das inovações, nossa experiência como empregados, pacientes e consumidores do que o conjunto de todas as instituições governamentais de nossa sociedade.

Fonte: Racionalização Subversiva: Tecnologia, Poder e Democracia

.............................................................................
Cláudio Júlio Tognolli
• Dr. em Ciências da Comunicação e Jornalista
• Universidade de São PauloUniFIAM-FAAM ..—..Faculdade de Ciências da Comunicação
• Dê sua opinião..—..Contato

Apesar da desconversa e da crassidão de turiferários do jornalismo, o governo federal foi, sim, investigado pela Kroll Associates, a maior empresa de investigações privadas do mundo. O Projeto Tokyo, como se chamou tal lida de espionagem, levou esse nome porque o ministro Gushiken — que, segundo a imprensa, fora investigado apenas em 2001, bem antes de sonhar com o governo —, além de ser conhecido na Kroll como “o Samurai”, emprestou sua ascendência para o batismo do projeto.

Fonte: Anatomia araponga

O fato de o Brasil ter sido um filho espiritual da contra-reforma promovida pela Companhia de Jesus, o que nos conferiu o caráter coletivista e apostador na mística do líder público, volta e meia convoca os escrúpulos dos filhos do protestantismo. O que, aliás, já virou um chavão: o assombramento frio e calculista dos anotadores de situações quando, na condição de jornalistas, passam a bulir com o frenético babalaô brazuca, a requerer respostas para tudo na figura do político ou do pai-de-santo (quando não, na figura farsesca do médico cirurgião que bate bumbos às sextas-feiras).

Fonte: Sem saber onde o galo cantou

.............................................................................
Raquel Moraes
• Doutora em Educação
• Universidade de Brasília - Faculdade de Educação
• Dê sua opinião..—..Contato

Gustavo Barreto
• Estudante de Comunicação Social e Editor da Revista Consciência.net
• Universidade do Rio de Janeiro e Consciência.net
• Dê sua opinião..—..Contato

O objetivo deste artigo é articular a teoria de conhecimento, comunicação e avaliação da aprendizagem desenvolvida a partir das teses de Adam Schaff (1986), Venício Lima (2001) e Maria Laura P. Barbosa Franco (1995) com nossa prática em educação online, tomando como base uma experiência de disciplina obrigatória no curso de formação de educadores (licenciatura) na Faculdade de Educação da Universidade de Brasília ministrada via Internet, entre 1999-2001. Como conclusão, destacamos que um dos grandes desafios que está sendo posto aos educadores comprometidos com a reflexão crítica, a criatividade e o humanismo, é conceber, conduzir e avaliar cursos que propiciem condutas de solidariedade e ajuda mútua (conforme salientado por Palácios, Gur-Ze´ev, Freire e Marques de Melo), e não os comportamentos e pensamentos que apresentam frases do tipo “chavão”, como analisado por Tognolli (2001 e 2003), que expressam um modelo de educação ainda massivo, do tipo taylorista-fordista, modelo este tão criticado por Belloni (2001).

Fonte: Avaliando em Educação Online: Uma Perspectiva Humanista; X Encontro de Educação em Engenharia - Búzios: 27 a 30 de outubro de 2004. Ver o site do evento aqui

.............................................................................
Gilberto Lacerda dos Santos
• PhD em Tecnologias na Educação pela Universidade de Laval (Canadá) e Doutor em Sociologia, pela Faculdade de Educação – UnB
• Universidade de Brasília
• Dê sua opinião..—..contato

Esta investigação objetiva o esclarecimento de modalidades de uso da internet em situações de ensino fundamental, em escolas das redes pública e particular do Distrito Federal. Trata-se de uma pesquisa que empregou leitura qualitativa de dados quantitativos em que, por meio de questionários, entrevistas e observações diretas, abordamos a atuação de vinte professores para explicitar de que forma os conteúdos disponibilizados por meio da internet estão sendo apreendidos e trabalhados em sala de aula, o tipo de navegação nos hipertextos eletrônicos que tem sido proposto aos alunos e uma tipologia de modalidades de uso da internet na educação. Os dados indicam que há quatro modalidades de navegação (aleatória e linear; orientada e problematizada; por meio de pedagogia de projetos e por meio de abordagens de construção de hipertextos). Indicam também que os professores são capazes de avançar em uma utilização mais interessante da internet como meio de ensino e de aprendizagem e que a escola, com seu ritmo e ritos, constitui uma amarra importante. Sem dúvida, há um clamor geral pela mudança. Se os alunos sentem-se pouco à vontade com a forma e o hermetismo com que as relações educativas vêm sendo conduzidas, o que é traduzido na prática por um desinteresse sistemático pela escola, o mesmo parece acontecer com os professores, sobretudo quando eles são cobrados por gestores, pais, alunos e teóricos da educação para assumirem posturas docentes para as quais eles não foram preparados.

Palavras-chave: Internet na educação; Modalidades de uso; Trabalho docente.

Fonte: A internet na escola fundamental: sondagem de modos de uso por professores

.............................................................................
MEMÓRIA

Ruy Mauro Marini

Este texto foi escrito para atender uma exigência acadêmica da Universidade de Brasília. Sua finalidade é a de dar conta de minha vida intelectual e profissional, razão pela qual as referências de ordem pessoal ou política que nele se incluem têm o propósito de mera contextualização. Em nenhum momento, eu pensei na possibilidade de sua publicação, havendo limitado a sua circulação a pessoas para as quais ele pode, a meu ver, revestir algum interesse — essencialmente, familiares e amigos mais chegados, assim como estudantes que manifestaram especial curiosidade em relação ao meu trabalho.

Fonte: www.marini-escritos.unam.mx/001_memoria_port.htm
 
 

Aula Virtual e Democracia
boletim 4, ano 1 — novembro de 2004
Jornalista responsável: Cláudio Júlio Tognolli (cjt)
 
Observatório de Inclusão Educacional e Tecnologias Digitais - Unesco / UnB
• Leia o boletim atual
.
Interatividade
• Chat
• Fórum
• Ateliê
.
• Uma odisséia no espaço
• Smoke Kills
• Inter-face
• Fahrenheit 9/11
• Ilha das Flores
• Be a virtual reporter right now
• How many online?
• Outras mídias